Diabéticos lutam para conseguir remédios e insumos | Panorama Farmacêutico
Notícias do setor farmacêutico

Diabéticos lutam para conseguir remédios e insumos

0 18
O pequeno Enrico precisa de reservatórios para bomba de insulina – ERICK PINHEIRO

Garantir o tratamento adequado é a difícil luta de familiares e pessoas com diabetes em Sorocaba. Somente a Associação de Diabetes de Sorocaba (ADS) já auxiliou no ingresso de cerca de 300 ações judiciais em 2017 em busca de tratamentos, insumos e medicamentos que deveriam ser fornecidos pelo poder público aos acometidos pela doença. Hoje, dia 14, é lembrado o Dia Mundial do Diabetes, data de conscientização sobre a doença.

A coordenadora da ADS, Eliete Venturini Ferreira, relata que os pacientes enfrentam dificuldades para obter os insumos do tratamento tanto nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), coordenadas pela Prefeitura de Sorocaba, quanto na Farmácia de Alto Custo do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), sob responsabilidade do Departamento Regional de Saúde (DRS). “É uma luta”, afirma.

Nas UBSs, a questão seria as tiras usadas para medir a glicemia. Seriam disponibilizadas 50 tiras a cada 50 dias, enquanto os médicos recomendariam a medição três vezes ao dia. Já no CHS, a falta de insulinas com tempo de ação diferenciado e insumos para as bombas de insulina (como cateter e reservatórios) seriam as principais demandas.

A família da aposentada Arcelina Moreira Pena, de 77 anos, relata que há quatro meses não consegue retirar as medicações Levemor, Novorapid e Concor 05. O filho Anísio Daniel Pena conta que os remédios chegariam a custar mais de R$ 1 mil ao mês. “Os filhos se juntam para comprar”, diz.

Para a família de Enrico Gabriel Gabbo, de 12 anos, o drama no momento são os reservatórios da bomba de insulina. “A gente não consegue nem dormir direito”, conta o pai do menino, Paulo Ricardo Silva Gobbo. Ele relata ter obtido decisão judicial que obriga a DRS a fornecer todos os insumos para a bomba de insulina do filho, que incluiria o cateter, a medicação e os reservatórios.

Os componentes da bomba — um aparelho que envia microdoses de insulina continuamente por meio de cateter subcutâneo — precisariam ser trocados a cada três dias. Porém, com a falta de reservatórios na Farmácia de Alto Custo, a família estaria reutilizando o compartimento, o que aumentaria o risco de infecções. De acordo com o pai, outros pacientes chegam a desistir da bomba, que é uma alternativa a até oito injeções diárias, por conta da dificuldade em obter insumos.

Chama a atenção de Paulo, o fato de não conseguir os insumos mesmo com a ordem judicial. “É impressionante”, diz. Eles aguardam ainda o fornecimento do aparelho MiniLink, que faz a medição do índice glicêmico. “É o tratamento recomendado pelo médico”, apela.

Explicações

A Prefeitura de Sorocaba afirmou, em nota, que para os pacientes diabéticos Tipo 1 (insulinodependentes), gestantes e mandados judiciais, as UBSs fornecem o número de tiras, lancetas e agulhas em referência ao descrito e orientado na receita médica do paciente. No caso do Tipo 2, as unidades disponibilizam 50 tiras para 50 dias, conforme descrito em receita médica. A Secretaria de Saúde (SES) afirmou ainda que tem intensificado ao longo do mês as ações de prevenção, em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, nas UBSs e pelas equipes de Estratégia de Saúde da Família.

Em nota da sua assessoria de imprensa, a Prefeitura afirma ainda que possui 20.029 pacientes cadastrados no Programa de Diabetes da rede pública de saúde municipal. Diz também que atualmente a rede de Sorocaba conta com 7 mil pacientes insulinodependentes, que recebem gratuitamente o glicosímetro, tiras reagentes, lancetas e seringas. Já para os pacientes não insulinodependentes, esses podem retirar sua medicação na rede de farmácia popular da cidade. E comenta ainda que conta com o Ambulatório de Feridas e Pé Diabético, na Policlínica Municipal.

Já o governo do Estado, por meio do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Sorocaba, afirma que ambos os pacientes citados pela reportagem estão em atendimento e que, por vezes, são fornecidos itens imediatamente disponíveis, como ocorreu nas últimas semanas em relação a determinados medicamentos e insumos utilizados por eles, com a finalidade de evitar interrupções na assistência. Diz ainda que tanto as insulinas Levemir e Novorapid para Arcelina Moreira Pena, quanto os acessórios da bomba para o paciente Enrico Gabriel Gobbo, já foram devidamente adquiridos e será solicitada aos fornecedores celeridade na entrega.

O Estado afirma também que o SUS disponibiliza gratuitamente, por meio dos municípios, as insulinas NPH e regular, aos pacientes com diabetes. As insulinas especiais não fazem parte da lista de produtos definida pelo Ministério da Saúde para distribuição na rede pública e não há nenhuma evidência científica de que tenham eficácia superior às insulinas já disponíveis no SUS.

ADS desenvolve ações de prevenção neste mês

A Associação de Diabetes de Sorocaba (ADS) promove neste mês ações de prevenção, diagnóstico e informação. A ADS leva teste de glicemia, aferição de pressão arterial, além de auxílio nutricional e jurídico na praça coronel Fernando Prestes no dia 18, e no Shopping Iguatemi Esplanada no dia 25 — em ambos os dias das 8h às 12h.

A associação oferece acompanhamento multidisciplinar, jurídico e informações para pessoas com diabetes e se mantém por meio de doações, bazares e outros eventos. Quem tiver interesse em contribuir pode entrar em contato pelo número (15) 3233-9138.

Dia Mundial da Diabetes

A Sociedade Brasileira de Diabetes alerta que mais de 13 milhões de pessoas vivem com diabetes no Brasil, o que representa 6,9% da população. A diabetes é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz, sendo que a insulina é um hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue. Mais informações sobre o Dia Mundial da Diabetes podem ser acompanhadas em: www.diamundialdodiabetes.org.br.

Fonte: Cruzeiro do Sul

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.