fbpx

Farmácias uruguaias põem à venda remédio à base de cannabis

O fármaco contém cannabidiol a 2% de concentração e possui percentagem de THC (principal constituinte psicoativo do cannabis), inferior a 1%

109

EFE\ Arquivo

As farmácias uruguaias começaram a vender hoje (18) um remédio elaborado a base de cannabis para tratar a epilepsia refratária, segundo informou à Efe o laboratório farmacêutico uruguaio Medicplast.

“Já temos a licença do Ircca (Instituto de Regulação e Controle do Cannabis) para poder distribui-lo”, disse à Efe o diretor de Medicplast, Armando Blankleider, quem explicou que desde hoje já estão “enviando pedidos”.

Blankleider destacou que “pela primeira vez no Uruguai e no mundo” se vende um remédio com “CBD puro” e que este “é o primeiro registrado num Ministério de Saúde Pública com matéria prima de provada qualidade supervisionada pela autoridade sanitária suíça”, uma vez que o cannabidiol se elabora num laboratório no país europeu.

A Medicplast está encarregada da fórmula e da produção do remédio de 10 mililitros, que se chama Epifractan 2%, e o seu preço de venda ao público será de 2.170 pesos uruguaios (75,5 dólares).

Este fármaco é uma espécie de azeite que tem CBD (cannabidiol) a 2% de concentração, e que possui uma percentagem de tetrahidrocannabinol (principal constituinte psicoativo do cannabis, que também se conhece por THC), inferior a 1%, tal e como exige o Governo uruguaio.

Ao contrário do THC, o CBD é considerado uma substância não psicoativa, e tem variadas aplicações médicas, sobre tudo para o controle da dor e dos sintomas de doenças neurológicas.

Blankleider explicou, além disso, que Epifractan 2% “será vendido em regime de remédio com receita simples profissional” e que segundo os estudos da farmacêutica um frasco pode durar cerca de um mês.

“Também vai a sair um creme, cannabidiol a 2% “, apontou Blankleider, quem relatou que este fármaco “é muito efetivo em dores articulares, inflamações, lesões de pele e inclusive rugas”.

Este produto, chamado Cannabitel, contém também cannabidiol a 2% e poderá ser adquirido “sem receita” medica nas farmácias e perfumarias uruguaias por 991 pesos uruguaios (34,5 dólares).

Por último, Blankleider contou que o laboratório uruguaio está elaborando o Epifractan 5%, com 5% de CBD, e um Epifractan em cápsulas, que poderia oferecer uma “dose maior com a mesma estabilidade”.

O Governo uruguaio aprovou, no dia 16 de outubro, um decreto que habilita a venda de produtos elaborados a base de cannabis para uso medicinal.

Fonte: EFE

Comentários
Carregando...