Notícias do setor farmacêutico

Mitos e verdades sobre validade de maquiagens e cosméticos

Olhe bem para o seu nécessaire de maquiagens e cosméticos. Ali, você por acaso mantém algum produto — mesmo ainda fechado — por mais de um ou dois anos? Se sim, é hora de rever isso aí. Maquiagem e cosmético têm prazo de validade e deve ser respeitado. O uso desses produtos depois da data do vencimento pode causar alergias e até infecções, com o risco de deixar sequelas na pele.

Com a ajuda de Betina Stefanello, assessora do Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, e da dermatologista Flavia Ravelli, esclarecemos os mitos e entregamos as verdades sobre prazo de validade dos produtos que a gente costuma usar no rosto.

Sim, e geralmente vai de seis a 36 meses. Porém, a forma como você cuida pode interferir na duração. Se você mantém a maquiagem em um lugar fresco e arejado pode contar com o prazo da embalagem. Se deixa no banheiro, que tem muita umidade, ou no carro, que pode ser um lugar muito quente, a validade é encurtada.

O prazo de validade de seu produto de beleza venceu? Veja o que fazer

Marca de cosméticos está se renovando para atender às muçulmanas

15 marcas famosas de batom passam por análise de chumbo

A Sociedade Brasileira de Dermatologia tem uma orientação geral sobre prazo de vida de maquiagem: 6 meses para rímel, 48 meses para batom, 36 meses para sombras compactas. Porém, isso só vale se os produtos ficam em ambiente fresco e arejado.

Como a gente não costuma guardar a caixa, e a data de validade está nela, uma sugestão é etiquetar os produtos. Assim, não há risco de usar um produto vencido.

Também. E o prazo vai depender dos componentes ativos. Por exemplo: a Vitamina C é altamente instável, que oxida com muita facilidade. Dependendo da embalagem e do armazenamento, o tempo de vida pode ser mais curto. Vai depender ainda dos preservativos, os conservantes que existem dentro desses produtos. Tudo é relativo quando falamos dos tempos dos cosméticos: os componentes, o lugar onde os guardamos, a embalagem. Em alguns casos, até como manipulamos durante o uso.

Na grande maioria das vezes, o produto pode não só perder sua efetividade — um creme clareador que para de clarear, um antiaging que não faz mais efeito — como causar intolerâncias e reações alérgicas que podem deixar sequelas ou gerar infecções. Dependendo da forma como é armazenado, o produto pode virar um meio de colonização de bactérias. É importante respeitar os prazos para não colocar a saúde em risco.

Não vale a pena usar um produto que está fora de sua data de validade, ainda mais se tratando de um dermocosmético. Um produto vencido pode não ter mais eficácia e nos piores dos casos, se usado, pode causar intolerâncias até mesmo graves, como uma dermatite de contato.

Quanto à maquiagem, a diminuição da eficácia não é tão nítida. Você pode usar um batom, um blush ou uma máscara de cílios além da validade e notar que o produto “ainda funciona”. Porém há riscos de alergias e infecções. Sem contar que se isso acontecer com um produto vencido, você nem pode contar com o suporte da marca.

São os conservantes, que tem a função de aumentar a durabilidade e evitar que os produtos tenham alguma contaminação por algum microrganismo, seja uma bactéria ou um fungo. Hoje, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regulamenta substâncias que são libertadas no Brasil para essa finalidade. Naturais ou sintéticos, os conservantes são essenciais para o uso seguro desses produtos.

O próprio fornecedor, tanto dos cosméticos quanto das maquiagens. O que muda de país para país é a lista de conservantes, não as leis de prazo de validade.

Às vezes pode não aparecer sinal algum de que o produto está vencido. De qualquer forma, preste atenção em cheiro, cor e textura e tente seguir a cartilha da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Uma máscara de cílios costuma ressecar e ficar endurecida, uma sombra pode perder pigmentação. No entanto: se houver dúvidas quanto ao aspecto do produto, evite o uso.

Quando trazem, são indicações de duração em meses. 12 meses, 24 meses, 36. Então, o prazo começa a valer a partir do momento que você abre o produto.

Fonte: UOL

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.