fbpx

Descarte de medicamentos controlados é investigado em Santa Maria

Junto de 1,5 mil frascos foram encontrados documentos da Secretaria de Saúde do município que, segundo a prefeitura, são de acesso restrito. Material foi percebido por moradores.

37

Frascos de antibiótico usado contra doenças infecciosas são encontrados no lixo no RS

A Polícia Civil investiga o descarte de medicamentos controlados em uma rua da Zona Sul de Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul. Junto dos frascos havia documentos da Secretaria de Saúde do município que, segundo a prefeitura, são de acesso restrito. As ampolas continham antibiótico para controlar infecções.

“As penicilinas são muito importantes, ainda têm aplicação muito grande em algumas doenças, é de importância para a sáude pública. Existem alternativas para substituir, mas são mais caras e não tão eficientes como a penicilina”, explica o doutor Alexandre Schwarzbold, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologistas do Rio Grande do Sul.

Foram moradores que encontraram o material. “Até reclamei muitas vezes disso aqui na prefeitura. Isso aqui é uma contaminação, tem de tudo aqui dentro”, diz o aposentado Vilmar de Menezes.

Pela numeração dos lotes que estavam nos frascos encontrados, a prefeitura identificou que os medicamentos realmente eram da Secretaria de Saúde do município. Eles foram comprados a partir de 2014 e distribuídos a duas unidades municipais de saúde.

Em alguns dos documentos encontrados com os frascos também aparece o nome do prefeito, escrito de forma errada. Por isso, a prefeitura entende que pode ter havido falsificação desses papéis.

Local onde os medicamentos foram descartados em Santa Maria (Foto: Reprodução/RBS TV)

Local onde os medicamentos foram descartados em Santa Maria (Foto: Reprodução/RBS TV)

O que a prefeitura ainda não se sabe é como esses remédios sumiram das unidades. Uma sindicância foi aberta.

“Existe controle? Existe. Mas ainda não está bom, tem que melhorar. A gente agora vai ver como melhorar. Alguma coisa aconteceu, e isso tudo a sindicância vai mostrar. Vai mostrar se foi falha humana, se foi falha de processo, isso tudo vai ser mostrado na sindicância e também na investigação policial”, salienta a secretária municipal de Saúde, Liliane Mello Duarte.

“Como se trata de um crime na saúde pública, a gente faz o encaminhamento para a Polícia Civil para ser aberto o inquérito”, acrescenta o superintendente de Vigilância em Saúde, Alexandre Streb.

A hipótese levantada pela prefeitura é que esses medicamentos tenham sido furtados. A administração municipal também disse que, sempre que algum medicamento está vencido, é enviado para uma empresa especializada em fazer o descarte correto, e não jogado em qualquer lugar.

Fonte:

Comentários
Carregando...