fbpx

Farmácia é interditada por venda ilegal de remédios controlados

Polícia Civil apreendeu mais de 100 caixas de medicamentos tarja preta. Corporação apurou que comércio clandestino ocorri nos fundos do estabelecimento.

236

Vigilância Sanitária de Goiânia interditou, por tempo indeterminado, uma farmácia na Avenida 85, em Goiânia, por venda ilegal de remédios controlados, nesta quarta-feira (10). A Polícia Civil estava investigando o estabelecimento há cerca de um ano, mas suspeita que o comércio irregular ocorria há quase quatro. A ação apreendeu mais de 100 caixas de medicamentos em uma sala escondida nos fundos do comércio.

O delegado Frederico Maciel, responsável pelo caso, explicou que a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon) já tem testemunhas que comprovam a venda ilegal dos remédios. Segundo ele, os medicamentos eram vendidos sem receita.

“O dono da farmácia não foi encontrado, mas ele vai responder por tráfico de drogas e crime contra a saúde pública. Existe ainda a suspeita se que havia aplicação dos remédios nessa sala aos fundos, porque foram encontradas seringas usadas e novas lá. Os remédios achados eram principalmente psicotrópicos e anabolizantes”, afirmou.

G1 e a TV Anhanguera não localizaram o proprietário do estabelecimento para comentar o caso. À Polícia Civil, funcionários da empresa disseram que ele estava em viagem.

Farmácia é interditada após Polícia Civil encontrarm medicamentos sendo vendidos ilegalmente no local (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Farmácia é interditada após Polícia Civil encontrarm medicamentos sendo vendidos ilegalmente no local (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A Polícia Civil começou a investigar o caso após denúncias da própria Vigilância Sanitária. A corporação recebeu informações de que o estabelecimento comprava grandes quantidades desses medicamentos controlados, mas os fiscais não só não encontravam os remédios em estoque, como também não havia registro da venda deles através da farmácia.

O delegado alertou que a venda desses medicamentos de tarja preta sem a devida prescrição médica é uma atitude grave. “Essa venda clandestina é muito prejudicial. O individuo que compra um psicotrópico utilizado para tratamento de depressão, insônia e toma ele em quantidade acima do recomendado, pode causar a morte desse indivíduo”, comentou em entrevista à TV Anhanguera.

Fonte: G1

Comentários
Carregando...