Notícias do setor farmacêutico

Boticário muda a estratégia para a Vult

1.180

Um ano e cinco meses após comprar a Vult Cosmética, o Grupo Boticário começa a mudar a estratégia da marca, que no ano passado faturou R$ 500 milhões.

 

Desde agosto, dos 300 itens que a Vult tem no portfólio, 50 estão sendo produzido pelo Boticário na fábrica de São José dos Pinhais (PR). São produtos para pele, unhas e sobrancelhas. O restante é feito por terceiros. Com a mudança, a Vult reduziu custos, elevou a margem de lucro e ganhou agilidade para abastecer o varejo, disse Isabella Wanderley, vice-presidente de novos canais do Grupo Boticário. Na categoria de pele, que faz o maior volume de vendas na Vult, são produzidos pelo Boticário itens como blush, iluminador e um creme que reúne proteção solar, tratamento e cobertura. Neste ano a Vult planeja lançar 90 itens, pouco mais que o dobro da média histórica da marca de Mogi das Cruzes (SP). Entre as principais novidades da nova fase está o We Love Tint, que de um lado é batom e do outro, um fixador que promete manter o produto na boca por até 12 horas. Produtos como esmaltes e lápis de olho continuarão sendo feitos por terceiros. Os demais estão sendo desenvolvidos pela equipe de inovação do Boticário.

 

Criada há 15 anos por Murilo Reggiani e Daniela Cruz, a marca enfrentava problemas para disputar o mercado fora de São Paulo devido a questões tributárias e de logística. Os produtos chegavam a ficar entre 20% e 30% mais caros. Agora, estão entre 10% e 15%. A logística passou a ser feita pelo Boticário. A distribuição foi centralizada no Espírito Santo, que oferece mais incentivos tributários do que São Paulo. Com a mudança, a margem de lucro da Vult teve uma pequena melhora. Isabella considera que o ambiente econômico está desafiador para vender maquiagens. “Atualmente, nosso trabalho é retomar os pedidos com alguns lojistas que estão [mais céticos] com a economia”, disse a vice-presidente de novos canais. A marca Vult é distribuída em cerca de 30 mil pontos de venda. Com essas lojas, a Vult cobre cerca de 90% do país, segundo o Grupo Boticário. Dados da Nielsen referentes ao período de janeiro a julho, indicam que as vendas do setor de produtos de beleza, em valor, encolheram 0,8%, na comparação anual. Enquanto isso, cresce a disputa pelo consumidor com marcas de menor porte como Ruby Rose e Dailus. “Mais marcas estão aparecendo, mas sabemos quais são nossas fortalezas, como a precificação. No momento em que o bolso do consumidor [está em situação] difícil, respondemos apresentando produtos acessíveis e com qualidade”, disse Isabella. Segundo a Euromonitor International, o segmento de maquiagem movimentou R$ 9,1 bilhões no ano passado, com queda de 1,3% em relação a 2017. O Grupo Boticário ficou na liderança ao deter fatia de 22,1%, seguido por Avon (16,3%), Coty (10,1%), Natura (9,3%) e L’Oréal (9,2%).

Fonte: Jornal Valor Econômico

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.