fbpx
O maior canal de informação do setor

16 casos de meningite viral são confirmados em 2017

Meningite – Segundo a Secretaria de Saúde de Dracena, neste ano ainda não foi diagnosticado nenhum registro deste tipo da doença, no entanto, dois casos da bacteriana foram confirmados

Siga nosso instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Doses da vacina meningococo C estão disponíveis na rede pública de saúde da cidade (Foto: Lucas Mello/JR)

A Prefeitura de Dracena por meio da Secretaria de Saúde e Higiene Pública divulgou a pedido do Jornal Regional, o balanço dos casos confirmados de meningite viral e bacteriana que foram registrados no município nestes últimos dois anos.

Segundo a Secretaria de Saúde, no ano passado, 16 casos de meningite viral foram registrados na cidade, sendo 81,25% em crianças; 12,50% em adultos e 6,25% em adolescentes.

Já a do tipo bacteriana não houve registro no ano anterior, entretanto, neste ano, conforme a Secretaria de Saúde, dois casos foram confirmados.

A meningite é a inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, uma vez que, ela pode ocorrer por diversas causas como: lesão física, neoplasias, uso de certos medicamentos, mas em geral ocorre por infecção bacteriana, viral, fungica ou parasitária.

Os sintomas da meningite viral são mais leves e se assemelham ao da gripe e resfriado. A doença acomete principalmente nas crianças, que têm febre, dor de cabeça, um pouco de rigidez da nuca, inapetência e ficam irritadas.

A transmissão se dá através do enteovírus de pessoa a pessoa por meio de contaminação oral-oral ou fecal-oral (por exemplo, quando da troca de fraldas ou ir ao banheiro e não lavar as mãos corretamente). Uma pessoa contaminada toca num objeto (maçanetas, etc) e outra saudável se contamina tocando no mesmo local.

Já os sintomas da meningite bacteriana são mais graves e devem ser tratadas imediatamente. Os principais agentes causadores da doença são as bactérias meningococos, pneumococos e hemófilos, transmitidas pelas vias respiratórias ou associadas a quadros infecciosos de ouvido, por exemplo.

A transmissão se dá através de pessoa a pessoa, por meio de gotículas e secreções da nasofaringe, havendo necessidade de contato próximo ou direto com as secreções respiratórias do paciente.

COMO É POSSÍVEL EVITAR A MENINGITE?

 

O hábito de lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou de usar produtos para a limpeza das mãos à base de álcool ou gel de álcool pode ajudar a interromper a disseminação de muitos vírus e bactérias. Também evitar compartilhar alimentos, bebidas, pratos, copos e talheres. Além das medidas, existem vacinas para prevenir as meningites, mas não para todos os tipos de vírus e bactérias, como por exemplo, os enterovírus.

Os vírus do sarampo, da caxumba, vírus varicela?zoster que também podem causar meningite viral, podem ser evitados por vacinação (tríplice viral ou tetra viral).

Segundo a Secretaria de Saúde, a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba, rubéola ? SCR) está disponível na rede pública nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) desde 1992 e é aplicada atualmente aos 12 meses de idade, com reforço aos 15 meses.

Ainda conforme a secretaria, a vacina tetraviral (SCR e varicela) está disponível nas UBS e é aplicada aos 15 meses de idade.

Já as vacinas contra meningite bacteriana, segundo a Secretaria de Saúde, que estão disponíveis na rede pública de saúde são: contra Haemophilusinfluenzae tipo b (Hib) e é aplicada aos 2, 4 e 6 meses de idade; pneumocócica 10 valente (PCV10) é composta por dez sorotipos do pneumococo e é aplicada aos 3, 5 e 7 meses de idade com reforço aos 15 meses; contra o meningococo do sorogrupo C (meningo C) e é aplicada aos 3 e 5 meses de idade com reforço aos 12 meses.

AÇÕES DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

As meningites são de notificações compulsórias, assim quando há um suspeito a Vigilância Epidemiológica é notificada para tomar as devidas providências. No caso de meningite viral, é realizada a orientação para a desinfecção do local onde a pessoa mora e estuda, com uma solução de uma colher de sopa de água sanitária (com 2% de cloro) para um litro de água limpa. Esta desinfecção é feita para eliminar o vírus que está presente no ambiente em objetos tocados pela pessoa contaminada e encerre assim a transmissão. A orientação é quanto à observação de sintomas nas pessoas próximas por um período de até 15 dias.

Já no caso de meningite bacteriana é realizado a orientação dos cuidados com o meio ambiente, fazendo a desinfecção. Também é necessária a profilaxia com antibióticos fornecidos pela saúdepública para os comunicantes que tenham contato mais direto com o paciente contaminado. A orientação é quanto à observação de sintomas nas pessoas próximas por um período de até 15 dias.

Em caso de sintomas de qualquer tipo de meningite é necessário que a pessoa deva procurar o atendimento médico o mais rapidamente possível.

Fonte: Portal Regional

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2021/02/15/profarma-specialty-busca-ampliacao-nas-regioes-norte-nordeste-e-sul/

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra