fbpx

Brasil é desafio para LOréal e Avon

151

Para os executivos, o País é um dos mercados mais competitivos do mundo

As multinacionais do setor de cosméticos Avon e LOréal enfrentaram um cenário desafiador no Brasil durante o terceiro trimestre deste ano. A Avon sentiu o impacto da redução no número de revendedores, o que levou a receita local cair 3% no período, na comparação anual, conforme relatório dos resultados globais divulgado ontem (7/11).

Jamie Wilson, diretor financeiro da Avon, disse que o Brasil é um dos mercados mais competitivos em que a companhia atua e exige um grande foco na execução e “insights” sobre a demanda do mercado. “A equipe entende os problemas [da operação] e está adotando uma estratégia para equilibrá-la. Queremos melhorar a retenção.” Apesar das dificuldades, a empresa americana registrou aumento no número de pedidos no País.

A francesa LOréal, que concluiu em setembro a venda da The Body Shop para a Natura, relatou no balanço que a operação brasileira continua sendo desafiadora. A divisão de produtos ao consumidor sofre com a desaceleração no Brasil, nos Estados Unidos, na Índia e no Oriente Médio. No entanto, a marca premium de dermocosméticos SkinCeuticals continua a crescer dois dígitos no país, assim como na China, na Rússia e no Reino Unido.

Entre julho e setembro deste ano, a LOréal obteve receita líquida de € 6,1 bilhões, com avanço de 5,1% em relação ao mesmo intervalo de 2016. No acumulado do ano até setembro, a receita líquida somou € 19,5 bilhões, com alta de 5,8%.

Fonte: Revista SM

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies