fbpx

Proteste indica parar “imediatamente” o consumo de vitamina C comprada em farmácias

A Associação de Defesa ao Consumidor alerta que suplementos de vitamina C sobrecarregam os rins e não tem eficácia comprovada

166
Para Proteste, comprar suplementos de Vitamina C é "jogar dinheiro fora". Foto: Bigstock
Para Proteste, comprar suplementos de Vitamina C é “jogar dinheiro fora”. Foto: Bigstock

A Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor – está fazendo uma campanha para que as pessoas deixem “imediatamente” de consumir suplementos de vitamina C. Segundo o órgão, o suplemento de vitamina C comprado em farmácias não tem efeito significativo no corpo humano.

A associação, no entanto, reitera os benefícios da vitamina C ao organismo, explicando que a vitamina é importante na defesa do organismo contra infecções, com propriedades cicatrizantes, evitando anemia, e auxiliando na absorção do ferro, como já comprovado em pesquisas.

A Proteste informa, porém, que ao recorrer à suplementação diária de altas doses desse nutriente com o intuito de prevenir gripes e resfriados, não há comprovação médica da eficácia do suplemento. “Os cientistas já provaram que não tem eficácia para pessoas em condições normais de saúde”, informa a associação. Ou seja, o suplemento de vitamina C comprado em farmácias não tem efeito significativo no corpo humano.

“Ao consumir suplementos de vitamina C você acaba jogando dinheiro fora e sobrecarrega os rins com altas doses sem necessidade”, enfatiza a nota da Proteste.

Ainda de acordo com o material divulgado, ensaios com suplementação em doses maiores ou iguais a 0,2 g por dia de vitamina C apontaram redução do resfriado comum em apenas um dia (de 12 para 11 dias) em 8% dos adultos.

A suplementação da vitamina C, no entanto pode ser feita com alimentos.
Confira alguns mitos e verdades sobre a Vitamina C, de acordo com médicos consultados pelo Viver Bem:

É preciso suplementar a vitamina C. MITO.
A suplementação não cabe a qualquer pessoa. Uma dieta balanceada é suficiente para ter a ingestão necessária de vitamina C. Em altas doses, pode causar diarreia, náusea, vômito, dor de cabeça, fadiga e perturbação do sono. O uso prolongado pode também facilitar o aparecimento de cálculos, conhecidos como pedras, no sistema urinário.

Redução na incidência de resfriados. MITO.
A ideia de que a vitamina C poderia prevenir os resfriados começou em 1970, quando o químico norte-americano Linus Pauling, ganhador de dois prêmios Nobel, lançou um livro no qual recomendava a ingestão de um grama por dia da vitamina para reduzir em 45% a incidência de resfriados. Pesquisadores europeus colocaram esse benefício à prova em um estudo de revisão e concluíram que a vitamina C é ineficaz para esse fim, exceto em atletas de alta performance.

Melhora os sintomas da gripe. VERDADE.
Para prevenir pode não servir, mas a vitamina C pode ajudar no alívio dos sintomas das gripes e resfriados, além de diminuir o mal-estar do paciente. Esse benefício foi comprovado no mesmo estudo que identificou a ineficácia da vitamina na prevenção dos resfriados.

Ajuda na produção de colágeno. VERDADE.
A vitamina C ajuda na formação dos glóbulos vermelhos, ou hemácias, células que transportam oxigênio do pulmão aos tecidos e do gás carbônico dos tecidos ao pulmão, e que também ajudam na reparação. Por isso, agem como fator de produção do colágeno, tecido conectivo importante no nosso organismo.

Vitamina C ajuda a absorver outros nutrientes. VERDADE.
Sabe por que sempre tem uma laranja cortada quando vamos comer uma feijoada? A vitamina C ajuda o organismo a absorver o ferro que comemos, como nas folhas verdes da couve e no feijão. A vitamina também é um antioxidante importante, pois protege as células e tecidos dos danos causados pelos radicais livres.

Alguns alimentos ricos em Vitamina C:

– laranja

– melão

– kiwi

– brócolis

– folhas verdes escuras

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies