fbpx

Farmácias uruguaias põem à venda remédio à base de cannabis

O fármaco contém cannabidiol a 2% de concentração e possui percentagem de THC (principal constituinte psicoativo do cannabis), inferior a 1%

324

EFE\ Arquivo

As farmácias uruguaias começaram a vender hoje (18) um remédio elaborado a base de cannabis para tratar a epilepsia refratária, segundo informou à Efe o laboratório farmacêutico uruguaio Medicplast.

“Já temos a licença do Ircca (Instituto de Regulação e Controle do Cannabis) para poder distribui-lo”, disse à Efe o diretor de Medicplast, Armando Blankleider, quem explicou que desde hoje já estão “enviando pedidos”.

Blankleider destacou que “pela primeira vez no Uruguai e no mundo” se vende um remédio com “CBD puro” e que este “é o primeiro registrado num Ministério de Saúde Pública com matéria prima de provada qualidade supervisionada pela autoridade sanitária suíça”, uma vez que o cannabidiol se elabora num laboratório no país europeu.

A Medicplast está encarregada da fórmula e da produção do remédio de 10 mililitros, que se chama Epifractan 2%, e o seu preço de venda ao público será de 2.170 pesos uruguaios (75,5 dólares).

Este fármaco é uma espécie de azeite que tem CBD (cannabidiol) a 2% de concentração, e que possui uma percentagem de tetrahidrocannabinol (principal constituinte psicoativo do cannabis, que também se conhece por THC), inferior a 1%, tal e como exige o Governo uruguaio.

Ao contrário do THC, o CBD é considerado uma substância não psicoativa, e tem variadas aplicações médicas, sobre tudo para o controle da dor e dos sintomas de doenças neurológicas.

Blankleider explicou, além disso, que Epifractan 2% “será vendido em regime de remédio com receita simples profissional” e que segundo os estudos da farmacêutica um frasco pode durar cerca de um mês.

“Também vai a sair um creme, cannabidiol a 2% “, apontou Blankleider, quem relatou que este fármaco “é muito efetivo em dores articulares, inflamações, lesões de pele e inclusive rugas”.

Este produto, chamado Cannabitel, contém também cannabidiol a 2% e poderá ser adquirido “sem receita” medica nas farmácias e perfumarias uruguaias por 991 pesos uruguaios (34,5 dólares).

Por último, Blankleider contou que o laboratório uruguaio está elaborando o Epifractan 5%, com 5% de CBD, e um Epifractan em cápsulas, que poderia oferecer uma “dose maior com a mesma estabilidade”.

O Governo uruguaio aprovou, no dia 16 de outubro, um decreto que habilita a venda de produtos elaborados a base de cannabis para uso medicinal.

Fonte: EFE

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies