fbpx

CFF quer ouvir farmacêuticos sobre exame de proficiência

7.956

 

O Conselho Federal de Farmácia, em conjunto com os Conselhos Regionais, abriu uma consulta pública sobre a implantação do exame de proficiência para farmacêuticos recém-formados. A decisão foi tomada na última reunião plenária, ocorrida entre 24 e 26 de janeiro deste ano. Segundo a entidade, a medida objetiva avaliar, previamente, conhecimentos, competência e capacidades para o exercício da profissão farmacêutica.

A prova seria realizada nos mesmos moldes do exame da Ordem dos Advogados do Brasil e permitiria que somente seria considerado farmacêutico quem fosse aprovado na avaliação da proficiência. Acesse aqui o formulário para a consulta pública.

“O sistema CFF/CRF tem sido um defensor incansável da qualidade da educação farmacêutica. Foi protagonista dos grandes debates e mudanças registradas nos últimos tempos, sendo a mais importante a instituição das novas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia”, ressaltou o CFF em nota. A entidade também lidera o movimento contra a disseminação do Ensino a Distância (EAD) na graduação em saúde, problema que somente poderá ser revertido com a aprovação de um Projeto de Lei no Congresso Nacional.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

18 Comentários
  1. Viviane Lima diz

    Passamos 5 anos na universidade estudando e pesquisando sobre formas, vias e meios de adm…
    Compatibilidade farmacêutica e vários outros aspectos!
    Acho q já estamos pronto pra começar o mercado de trabalho.

    1. Chaves diz

      A realidade é essa: a maioria que sai da faculdade se sente despreparodo para exercer todas as habilidades. E de fato está, se lembrarmos que existe mais de 70 habilitações. O exame estimularia verdadeiros estudantes e beneficiaria aqueles que se comprometem com o ensino.

  2. Alexandre Gimenes Dias diz

    Jamais graduação em EAD , estamos regredindo

  3. Alba Cristina diz

    Boa noite! Sou contra a prova de proficiência… pq penaliza apenas o formado, se a real preocupação é a qualidade do profissional inserido na classe e no mercado de trabalho a raiz do problema são as instituições de ensino. Não cabe o conselho avaliar o formando mais a instituição de ensino… pois muitas incluem cadeiras complementares no curriculum que não agregam conhecimento de grande importancia a formação do profissional
    ou mantém laboratórios fakes. No meu entendimento o CFF deveria fazer a avaliação por 3 etapas / ao longo do curso. Avaliação da instituição e do aluno.

    1. Chaves diz

      Antes de qualquer instituição existe o “eu”. E o maior responsável por essa formação é você mesmo. O exame estimula e destaca bons profissionais. E a profissão passa a ter mais valor.

  4. Cassio C Silva diz

    Já era hora. Com a comercialização do ensino, a oferta exagerada de cursos, a má qualidade de ensino e os cursos EaD, é preciso avaliar quem vai para o mercado de trabalho.

  5. Denne Costa diz

    Sou totalmente a favor!!!

  6. Paulo Nobrega diz

    Sim, sou favor!!!

  7. Oscar Dantas diz

    Sou a favor!!!

  8. Michelle Oliveira diz

    Sou totalmente a favor.

  9. Antonino Carneiro Costa diz

    Se faz totalmente necessário, principalmente depois da autorização do curso EAD, que é uma verdadeira vergonha.

  10. Lindomar castro diz

    Essa nova prova só e valido pra quem vai ser formar esse ano.

  11. Christiane diz

    Sou totalmente a favor, pois é vergonhoso os Profissionais que estao sendo lançados no Mercado, principalmente no Rio de Janeiro, embora eu seja Paranaense. Nas drogarias que tenho trabalhado, me tornei Professora dos recém formados.

  12. Márcio Brandão diz

    Totalmente de acordo com a realização do exame. Eu como farmacêutico passei 5 anos de minha vida para ter uma formação acadêmica de qualidade e prestígio, que me satisfez em todos os sentidos profissionais para que melhor possa repassar o conhecimento teórico e prático de quem necessita de saúde. Vejo a situação hoje em dia totalmente ao contrário, empresas querem formar profissionais de saúde como farmacêuticos por uma tela de computadores algo inadmissível para os conceitos práticos da profissão. Por isso peço que as autoridades que não admitam de forma alguma esse absurdo pois sem dúvida alguma seria um retrocessos as profissões e a qualidade de saúde do país. SIM ao exame de proficiência. NÃO ao EAD

  13. Salomão Xavier Sobrinho diz

    Concordo, mas os conselhos de classes tem que entrar com uma ação na justiça pra evitar que o MEC sirva de intereses dos empresários donos de faculdades particulares e abrir tantos cursos e o mercado de trabalho ter tantos profissionais desempregados e os poucos que conseguem entrar no mercado de trabalho são mao de obra barata. Hj uma diarista ganha mais que um farmacêutico.

  14. José Felipe diz

    Sim, sou a favor do exame de proficiência e totalmente contra curso EAD.

  15. Maria Goretti M Melo diz

    Nunca é tarde. Valorização da nossa profissão

  16. Inácio Régis N Oliveira diz

    Sou plenamente a favor, não só p recém formados más para todos os farmacêuticos em atividade dentro de suas respectivas áreas de atuação. Quanto ao quê me leva a essa opinião, “sem comentários”.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.