Notícias do setor farmacêutico

Faturamento de distribuidoras de medicamentos cresce 9% em 2017

4.261

Além de medicamentos, cosméticos e produtos de higiene também tiveram altas na vendas – Leandro Moraes/UOL

As distribuidoras de medicamentos tiveram alta de 9% nas vendas em 2017, na comparação com o registrado em 2016, segundo a Abradilan (associação do setor) e a consultoria Iqvia.

No volume de unidades comercializado, o aumento foi de 5,2% no mesmo período.

O levantamento considera a venda de medicamentos e de produtos de higiene e beleza.

“O crescimento ocorre tanto com remédios, que, por serem produtos essenciais, mantiveram o crescimento durante a crise, quanto com higiene e cosméticos”, diz Cristina Amorim, diretora da entidade.

Os dados não incluem o resultado de grandes varejistas, que em geral possuem logística própria de distribuição.

As distribuidoras atendem farmácias independentes e também são responsáveis por parte da logística das redes fora dos grandes centros.

A previsão do segmento é ter uma expansão próxima dos dois dígitos neste ano.

A Orgafarma, que faz distribuição de cerca de 4 milhões de unidades por mês em Minas Gerais e na Bahia, cresceu 24% em receita em 2017.

“Vamos dobrar o tamanho de um de nossos centros logísticos em 2018 para suprir a demanda”, diz Vinícius Andrade, diretor-executivo.

O Grupo Machado, que opera em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e Rio Grande do Norte, vai ampliar sua rede de distribuição.

“Vamos expandir nosso galpão em Porto Alegre neste ano”, diz Aclair Machado, presidente do grupo, que atende 1.200 cidades.

 

Compro e vendo usados

A start-up de compra e venda de celulares usados Trocafone, sediada no Brasil, iniciou suas operações na Rússia e pretende dobrar seu número de funcionários neste ano.

“Nossa ideia inicial era abrir escritórios na América Latina em 2017, mas decidimos atrasar o projeto para 2018 e surgiu a oportunidade de ir à Rússia, que tem um mercado similar ao brasileiro”, diz o CEO, Guille Freire.

Destaques de fevereiro em Mercado AbertoÍcone seta para esquerda Ícone seta para direitaLeia Mais Ícone fechar Voltar Ver novamente Ícone seta para esquerda Voltar Ícone seta para cimaÍcone seta para baixo Ícone seta para esquerda Voltar Compartilhe

O aporte para chegar a Moscou foi de US$ 3 milhões (R$ 9,71 milhões). A maior parte do montante foi levantada junto a investidores.

A companhia, que também está na Argentina desde 2016, deverá abrir escritório na Colômbia ou no Peru ainda em 2018. Para isso, planeja investir R$ 16 milhões.

A empresa recebeu aporte de cerca de R$ 50 milhões de investidores em 2017.

 

Exportação química

As exportações de produtos químicos de uso industrial de empresas do Estado de São Paulo cresceram 18,5% em 2017, segundo o Sinproquim (do setor). Foram US$ 4 bilhões (R$ 13 bilhões) no período.

Após quedas sucessivas em 2015 e 2016, o resultado positivo do último ano representou um retorno aos patamares alcançados em 2014.

O aumento foi alavancado pela demanda de fertilizantes e de preparações químicas utilizadas na produção industrial de modo geral, afirma Renato Endres, assessor econômico do sindicato.

Os renováveis ganharam espaço no exterior. Entre os cinco itens mais exportados, três pertencem à categoria de óleos essenciais, produtos de perfumaria e preparações cosméticas.

O mercado externo valoriza esse tipo de produto e temos um potencial muito grande nessa área, diz Endres.

Para 2018, a projeção da entidade é que o crescimento continue no mesmo ritmo.

 

Grande irmão

O segmento de prestação de serviços de segurança eletrônica ficou estagnado em 2017, segundo a Abese (associação setorial).

Empresas responsáveis pela instalação de alarmes e câmeras de monitoramento, que representam quase 63% do setor, sofreram com o enxugamento de gastos dos clientes, diz Selma Miglori, presidente da entidade.

O mercado como um todo, que exclui serviços de escoltas e logística de valores, cresceu 6% no ano passado, abaixo da média histórica de 8%.

A melhora foi impulsionada pela indústria, que teve alta de 15%, diz Miglori.

O faturamento ficou em R$ 6,04 bilhões, de acordo com a Abese

 

Energia da cana O RenovaBio, programa de incentivo ao etanol e biodiesel, deverá levar a uma produção adicional de 4.000 MW médios pelo processo de cogeração a partir de biomassa, segundo a Cogen (associação do setor).

Franquias A rede de padarias portuguesas B.Lem vai abrir unidades no Rio e no interior de São Paulo para dobrar de tamanho neste ano. São dez lojas em funcionamento hoje. Outras quatro serão inauguradas nos próximos meses.

Gênero O número de mulheres empregadas na indústria automotiva caiu 1,2% de 2013 a 2017, segundo a consultoria MHD, que pesquisou 460 montadoras e fabricantes de autopeças. Entre os homens, a redução foi de 20,4%.

Obras… O número de metros quadrados em construção no país caiu 15,5% em janeiro, em relação ao mesmo mês de 2017, segundo índice da Neoway, de análise de dados, e da consultoria Tendências.

…em falta É o menor nível desde 2009, quando começou a série histórica. A região em pior situação é a Norte, com queda de 35,7%. No Centro-Oeste, houve alta, de 12,8%.

Fonte: Folha de S. Paulo Online

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.