Notícias do setor farmacêutico

Sandoz assina acordo para desenvolver e comercializar prescrição terapêutica digital

A Sandoz, divisão de genéricos e biossimilares da Novartis, anunciou que irá colaborar com a Pear Therapeutics para comercializar e continuar o desenvolvimento de novas prescrições terapêuticas digitais destinadas a tratar efetivamente doenças e a melhorar resultados clínicos de pacientes.

A colaboração reúne a experiência da Sandoz no lançamento e comercialização de tratamentos com a experiência líder da Pear no projeto e na implementação de terapias digitais.

A Sandoz e a Pear trabalharão juntas para levar o reSET®* a pacientes com transtorno por abuso de substâncias e, se aprovado pela FDA, reSET-O (TM)* para pacientes com transtorno por abuso de opioides que estejam recebendo buprenorfina, para melhorar o tratamento. Principal produto terapêutico digital da Pear, o reSET®, foi autorizado pela FDA em setembro de 2017 para ajudar a tratar o Transtorno por Uso de Substância.

“A crise de opioides está causando um impacto devastador e crescente em nossas comunidades e todos nós temos um papel a desempenhar para ajudar a encontrar soluções que funcionem para pacientes, famílias e comunidades”, diz Richard Francis, CEO da Sandoz. “Nosso acordo com a Pear e sua expertise em desenvolver prescrição digital terapêutica se encaixa na nossa estratégia de ser parte da solução para as questões que afligem pessoas que lutam contra o vício, incluindo os opioides”.

As prescrições digitais terapêuticas da Pear destinam-se a fornecer aos pacientes tratamentos clinicamente comprovados, como a terapia cognitivo-comportamental, por meio de aplicativos para celulares e computadores. Uma vez liberados pela FDA, essas terapias digitais podem ser prescritas tanto como monoterapias, como em conjunto com terapias medicamentosas e têm potencial para tratar uma série de doenças.

O transtorno por abuso de substâncias é uma doença crônica, recidivante, causada pelo uso recorrente de álcool, drogas ou ambos. Para as pessoas com esse distúrbio, o tratamento normalmente envolve interações presenciais intensivas em um cenário especializado. A qualidade inconsistente no tratamento e a acessibilidade limitada tem levado tratamentos a resultados insatisfatórios, incluindo baixas taxas de abstinência e altas taxas de evasão.

A colaboração faz parte do esforço estratégico da Sandoz e da Novartis para trabalhar com líderes em saúde digital para impulsionar a próxima onda de inovação médica. A Sandoz e a Novartis estão colaborando para desenvolver tecnologias para monitorar dados de pacientes em tempo real, detectar mudanças comportamentais e biológicas diárias, melhorar a adesão do paciente e, por fim, melhorar os resultados de tratamentos ajudando pacientes a entender melhor e a controlar sua saúde.

A Pear é líder no desenvolvimento de prescrições de terapias digitais e desenvolveu o primeiro aplicativo médico móvel aprovado pela FDA com rótulo de segurança e eficácia, para ajudar a tratar pacientes com transtorno de abuso de substâncias, em setembro de 2017. A Novartis investiu nas rodadas da Série A e na Série B de financiamento.

Indicação:

O reSET® destina-se a fornecer terapia cognitivo-comportamental, como um complemento a um sistema de gestão de contingência, para pacientes com 18 anos de idade ou mais que estejam atualmente matriculados em tratamento ambulatorial sob a supervisão de um clínico. O reSET® é indicado como um tratamento somente com prescrição de 12 semanas (90 dias) para pacientes com transtorno por abuso de substâncias, que não fazem atualmente terapia de reposição de opioides, que não abusam do álcool exclusivamente ou que não têm nos opioides a sua principal substância de abuso.

Destina-se a:

– aumentar a abstinência do paciente às substâncias de abuso durante a terapia, e

– aumentar a retenção no programa de tratamento ambulatorial.

Informações importantes sobre segurança:

Não use o reSET® para comunicar qualquer informação urgente, crítica ou emergente ao seu provedor. O reSET® não possui nenhum recurso que envie alertas ou avisos ao seu provedor. Se você tiver sentimentos ou ideações sobre prejudicar a si mesmo ou aos outros, por favor, vá para a sala de emergência mais próxima.

O reSET® não se destina a ser usado como terapia isolada para o transtorno de uso de substâncias e não substitui o cuidado de um médico licenciado.

O benefício no longo prazo do tratamento com reSET® na abstinência não foi avaliado em estudos com duração superior a 12 semanas na população com transtorno de uso de substâncias. A capacidade do reSET® para prevenir uma possível recaída após a descontinuação do tratamento não foi estudada.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação