Notícias do setor farmacêutico

Fabricante e cosméticos Hinode caminha para a indústria 4.0

1.423

Uma fórmula que começou como alternativa para engordar a renda e, com o passar do tempo, vem se tornando o rendimento principal ou a única fonte de faturamento de um verdadeiro exército de consultores da beleza e bem-estar. O Grupo Hinode, fabricante de produtos de perfumaria e cosméticos, reúne 750 mil consultores e, com o seu modelo de marketing multinível, soma mais de 450 franquias instaladas em todo o País.

Uma fórmula que começou como alternativa para engordar a renda e, com o passar do tempo, vem se tornando o rendimento principal ou a única fonte de faturamento de um verdadeiro exército de consultores da beleza e bem-estar. O Grupo Hinode, fabricante de produtos de perfumaria e cosméticos, reúne 750 mil consultores e, com o seu modelo de marketing multinível, soma mais de 450 franquias instaladas em todo o País.

STUDIO IPNEWS: A Indústria 4.0 e desafio de produtividade da manufatura brasileira

Uma empresa de grande porte que em dois anos conquistou proporções capazes de forçar a busca por metodologias e ferramentas de gestão, tecnologia e compliance, que a colocassem no rol das grandes corporações. “Crescemos entre 40% e 50% em 2016, o que nos fez projetar uma nova infraestrutura fabril que atendesse tanto à necessidade presente quanto à demanda futura”, explica Renato César Pinto, diretor de TI do Grupo Hinode.

Inaugurada em março de 2017, a fábrica instalada em Jandira, na Grande São Paulo, incorporou tudo que há de mais moderno em termos de produção e não poupou a demanda por conectividade. “Temos pontos de conexão espalhados ao longo dos 12.000 m2 do galpão da fábrica e uma rede Wi-Fi que conecta os coletores com o sistema ERP e, principalmente, ao módulo de gestão de armazém, para facilitar a localização de insumos e dos produtos”, conta Renato Pinto.

A nova operação, que elevou a capacidade de produção da Hinode em dez vezes, saltou de 200 para 2 mil toneladas/mês, somando uma produção de 9 milhões de itens/mês, com capacidade de dobrar a produção. No final de 2017, transferiu o Centro de Distribuição (CD) de Santana do Parnaíba, também na Grande São Paulo, para Extrema, em Minas Gerais, com uma infraestrutura de TI espelho à que foi montada em Jandira, e planeja instalar um CD em cada estado do País com a mesma configuração.

“A área de TI da fábrica é fundamental para  atendermos nossos consumidores e, principalmente, garantir os negócios de mais de 1,2 milhão de parceiros – consultores individuais ou franqueados”, destaca Claudionizio Benzatti, gerente de TI Grupo.

A automação do chão de fábrica conta com forte influência da TI, uma infraestrutura de rede desenhada principalmente para sanar a precariedade do antigo ambiente, que sofria com improvisos para suportar o rápido crescimento da demanda.

Não só a imagem, mas a consistência do negócio, exigiu a reconstrução da infraestrutura de TI e um novo perfil da unidade fabril, agora equipada com dispositivos de rede cabeada e sem fio – switches, controladoras e access points Cisco – integrados pela 3S Networks, que também ajudou no desenho da solução.

Com a nova rede, a companhia implementou uma gestão automatizada de chão de fábrica e de logística. Coletores de dados, conectados à rede Wi-Fi, localizam insumos e produtos no estoque e geram informações para a gerência, por meio do sistema WMS (warehouse management system). Algo impossível sem a infraestrutura de rede cabeada e sem a rede sem fio (wireless) para conectar os coletores, segundo Benzatti.

“Se o coletor falhar, perdemos a mobilidade, pois teremos que usar o sistema em PC para localizar insumos e produtos. Ou seja, perdemos a coleta de dados em tempo real e, consequentemente, reduzimos a produtividade”, diz Claudionizio Benzatti.

Para ele, o destaque do projeto fica por conta da arquitetura de alta disponibilidade, que garante o funcionamento do ERP e da telefonia IP da Hinode. A cereja do bolo são os switches Power over Ethernet (PoE), que permitem transmissão de energia elétrica juntamente com os dados e diminuem os gastos com energia elétrica por serem alimentados pela própria rede de dados.

O Grupo Hinode tornou-se nacionalmente conhecido nos últimos anos graças ao seu rápido crescimento, apoiado na qualidade de seus produtos de cosméticos e perfumaria e ao marketing multinível. Através da plataforma online, o consultor pode incluir pedidos e acompanhar tanto as suas vendas quanto o desempenho daqueles que estão abaixo do seu nome, administrando a pontuação de cada um (e a própria), podendo inclusive entrar em contato com cada membro da rede.

Uma gestão que remete aos princípios dos sistemas de CRM (customer relationship management), para que a informação e decisão do consultor seja mais assertiva. Assim, a chance de obter mais produtividade nas vendas também aumenta.

Mais tecnologia

Prevendo um salto no faturamento de R$ 1,8 bilhão, em 2016, para R$ 2,6 bilhões, em 2017, a Hinode tem planos de abrir um novo centro de distribuição (CD) em Extrema (MG), para centralizar toda a sua logística. Lá, a empresa vai apostar ainda mais em conectividade e já estuda os projetos junto com a Cisco e a 3S Networks para montar uma rede aos moldes da fábrica de Jandira.

Também há planos para a construção de outros CDs menores em cada Estado do País, para apoiar as cadeias de distribuição locais. A modernização da rede do escritório central da empresa, em Barueri (SP), é outra intenção do Grupo Hinode. “A arquitetura que construímos será usada como referência para os próximos projetos”, afirma Cláudio Benzatti, ao citar as novas operações na Colômbia e no Peru, abertas em 2017, e a meta de ampliação para outros países da América Latina e outros continentes nos próximos cinco anos.

Participação do integrador

A 3S Networks, parceira da Cisco, foi a integradora responsável pelo projeto do Grupo Hinode. A sua participação foi decisiva para definir a melhor configuração e para que os equipamentos fossem entregues em um prazo diferenciado, devido a necessidade de agilidade da Hinode. “Nossa intenção firmada com a Cisco e a 3S é manter o padrão em outros projetos da Hinode”, comenta Renato César Pinto, diretor de TI do Grupo Hinode.

Segundo ele, a configuração proposta pela 3S, com access points distribuídos em toda a fábrica, maximizou a conectividade, mesmo depois de reformas e subidas de paredes, não perdendo a performance do Wi-Fi. “Agora só precisamos de ajustes fino, um novo mapeamento dos dispositivos para melhorar ainda mais a conectividade”, encerra.

Fonte: IP News

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })