Grupo Polar apresenta novas tendências para cadeia fria

Oferecimento: NT-UX

O Grupo Polar reuniu os maiores players da cadeia fria com o objetivo de discutir novas tendências e soluções para o mercado durante o IV Simpósio Grupo Polar. O evento ocorreu na última quinta-feira, 25 de outubro, em São Paulo, e contou com a presença de executivos e profissionais da indústria farmacêutica, distribuidores e operadores logísticos.

Esta edição marcou também o lançamento da linha Ice Foam Super Cold, o primeiro PCM (Phase Change Materials) em espuma feito no Brasil e o único atóxico do mundo que permite armazenar energia térmica por mais tempo. “Os PCMs são constituídos por substâncias que podem ter seu ponto de fusão alterado, o que possibilita o transporte por longos períodos sem variações expressivas de temperatura”, explica Anderson Fernandes, engenheiro químico do grupo.

Além dessa novidade, a grade de programação das palestras revelou temas como as áreas mais críticas da cadeia fria, tais como os pontos de transição da carga, sua retenção pelas autoridades e a grande regulação do mercado. Segundo Ronald Schaefer, diretor-assistente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), 25% das vacinas acabam sendo perdidas por conta de transporte incorreto e da importância do CEIV Pharma para evitar tais riscos. No Brasil o RIOGaleão e o Aeroporto Internacional de Viracopos possuem a certificação.

Kleber Fernandes, head of quality and management da AGV Logística, falou como a empresa enfrentou a greve dos caminhoneiros, que paralisou a entrega de produtos da cadeia fria em maio deste ano. O executivo explicou a importância de manter um plano de continuidade dos negócios a fim de preparar a empresa quando o problema já está instalado. Foi adotando esta mentalidade que a empresa contratou vans escolares para poder passar seus produtos pelo bloqueio.

O evento também contou com apresentações do analista de qualidade sênior da Bayer, Rogerio Nogueira e de Lucimeire Sola, supervisora de qualidade, consumer and life sciences Brazil, da DHL Supply Chain, que discorreram sobre o processo de qualificação de ambientes e embalagens para a cadeia fria.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies