fbpx

‘Double cleansing’: por que limpar a pele duas vezes é bom?

90

Fazer uma boa limpeza é um dos passos mais importantes para manter a pele sempre saudável e, com certeza, pode evitar muitos problemas. Mas você já ouviu falar de “double cleansing”? A prática se popularizou com a  rotina de beleza das coreanas  e consiste em, basicamente, combinar produtos e etapas para uma higienização mais profunda.

shutterstock

A técnica ‘double cleansing’ consiste em combinar duas etapas de higienização para para limpar o rosto de forma profunda

A justificativa das asiáticas para aderirem à dois passos para realizar uma boa limpeza facial é até que bastante simples: usar só o sabonete líquido ainda deixa muito resíduo. Dessa forma, a técnica de ” double cleansing “, ou “limpeza dupla”, é a busca por um resultado mais eficaz e que funciona para remover aquelas sujeiras que estão presas à camada superficial da pele, assim como cosméticos à prova d’água e outros produtos mais resistentes.

“Como a barreira mais externa da pele é formada por uma camada hidrolipídica, que mantém a pele hidratada e protegida contra agressões externas, esse método de limpeza em duas etapas pode ser interessante. Além de promover a limpeza dos componentes mais oleosos que se acumulam em um dia, também limpam o ‘filme de água’ que fica sobre a pele”, explica Luciana de Abreu, dermatologista da clínica Dr. André Braz.

Como fazer “double cleansing”?shutterstock

O ‘double cleansing’ é um método recomendado para se fazer à noite, por conta da quantidade de sujeira acumulada

No método de “double cleansing”, a especialista recomenda que a limpeza do rosto deve ser feita em duas etapas consecutivas. Primeiro, com um sabonete, higienizador ou demaquilante à base de óleo e, em seguida, novamente com um sabonete ou higienizador à base de água. A combinação desses produtos funciona como forma de remover as impurezas da pele de forma eficaz porque eles têm texturas e objetivos diferentes.

“A vantagem da limpeza em duas etapas é que o primeiro produto aplicado, no caso o higienizador em óleo, poderá remover a maioria dos tipos de cosméticos, até mesmo aqueles mais residentes à agua, além de remover a sujeira e o excesso de oleosidade. A segunda etapa será direcionada especificamente ao seu tipo de pele  e poderá conter substâncias para hidratar, suavizar, acalmar ou esfoliar a pele, tratando questões como a oleosidade ou acne”, afirma.

O passo a passo, segundo a dermatologista, é bem simples:

 

  • Limpe o rosto com um sabonete ou higienizador com base oleosa, como os óleos de limpeza, demaquilante bifásico ou loção oleosa demaquilante;
  • Entre uma limpeza e a outra, é importante remover todo o produto do rosto;
  • Use um sabonete ou loção de limpezaque contém

    ativos direcionados ao seu tipo de pele para fazer a segunda parte da higienização.

 

Além disso, Luciana afirma que, apesar de ser um processo recomendado para ser feito todos os dias, o melhor horário é à noite, antes de dormir.  “Esse período é quando realmente tem sujeira acumulada de um dia todo e maquiagem para remover, assim, você não estará alterando demais o equilíbrio natural entre os lipídeos e óleos ou até mesmo removendo as bactérias benéficas da própria flora da pele” diz.

Em entrevista prévia ao Delas , a dermatologista Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, complementa que, para que o “double cleansing” tenha um efeito positivo, é preciso ter cautela na hora de realizar os passos. “A pele deve ser lavada com movimentos circulares, utilizando as pontas dos dedos para fazer uma massagem de leve em todas as áreas, principalmente na ‘zona T’, que é a região mais oleosa”.

A especialista também recomenda deixar esse sabonete ou loção de limpeza no rosto por cerca de um minuto antes de retirá-lo com água e, claro, complementar a limpeza com outros dois passos essenciais: tonificação e hidratação. “As loções tônicas devem ser aplicadas com algodão por toda a extensão do rosto e pescoço. Espere a pele secar antes da próxima etapa.”

Leia também: Limpeza com óleos é possível até para peles oleosas! Aprenda a fazer OCM

Não esqueça de consultar um especialista antes de aderir ao “double cleansing”shutterstock

Antes de optar pelo ‘double cleansing’, consulte um dermatologista que possa avaliar a sua pele e as necessidades dela

A especialista também explica aquelas pessoas que têm a pele mista ou oleosa devem dar preferência para o “double cleansing”. “Esses tipos de pele toleram melhor o uso de sabonetes e higienizadores faciais. A lavagem ou abrasão excessivas da pele também pode acabar removendo demais os óleos naturais da camada hidrolipídica protetora que reveste nossa pele, o que pode causar ressecamento, irritação, coceira e fissuras no rosto.”

Por conta disso, é sempre importante consultar um dermatologista. Afinal, só um especialista que examine sua pele ao vivo pode fazer uma avaliação de suas necessidades, principalmente porque nessa higienização mais profunda existe o uso de produtos específicos para cada tipo de pele. “Para as peles oleosas é bastante recomendado o uso de ingredientes como ácido salicílico, ácido glicólico, zinco, etc., mas é importante avaliar esse uso.”

A presença de lesões inflamatórias ou infecciosas, doenças autoimunes ou peles sensíveis à alergias, bem como psoríase, entre outras doenças, também podem ser um impedimento para realizar técnicas assim. “Esses casos sempre devem ter orientação individualizada de como higienizar pelo seu dermatologista para não agravar a doença e prejudicar a pele.”

Thais concorda que a necessidade de cada paciente é diferente e recomenda a visita à um especialista até para evitar excessos ou errar na hora de escolher os produtos certos. “A pele é impermeável, então se o paciente utilizar muitos produtos com fórmulas muito robustas, a penetração dos ativos se torna ainda mais difícil”, explica.

“É necessário ter cuidado também com esses higienizações profundas como o ‘ double cleansing ‘, pois a limpeza da pele, quando é feita em excesso, retira a nossa barreira natural de proteção, que é formada por essa camada de água e óleo, e se isso não for bem reposto por meio dos produtos corretos, corre-se o risco de o corpo produzir uma  oleosidade compensatória, o chamado ‘efeito rebote’”, finaliza.

Fonte: IG

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies