fbpx

“Com esclerose múltipla, me deram cinco anos de vida. Maconha me salvou”

35

O fato inclusive de o acesso à maconha medicinal não ser democrático faz com que muitos façam o plantio ilegal ou recorram à boca de fumo. “Pacientes têm que usar maconha de péssima qualidade, com mofo. Eles já estão em um estado de vulnerabilidade por conta da doença e o Estado os coloca em uma ainda maior situação de risco. Se essa proibição [da maconha no Brasil] tem nome, é hipocrisia”, afirmou Margarete Brito, presidente da Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal, ao UOL.

A família de Brito foi a primeira no país a conseguir o habeas corpus para o plantio. Mãe de Sofia, que tem a síndrome CDKL5, que provoca convulsões sucessivas, ela desafiou a justiça em 2013 ao importar ilegalmente o CBD para o tratamento da filha, que na época tinha cinco anos. Hoje, desde que começou a usar o medicamento, Sofia tem menos da metade das convulsões.

Para Gilberto, o óleo de CBD feito em casa controla seus espasmos e suas dores. “Eu faço quimioterapia todo mês porque minha doença é muito grave, mas a Cannabis me ajuda muito. Ela controla meus espasmos, coisa que os remédios tradicionais nunca fizeram, e diminui minhas dores.”

Fonte: BOL

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies