Receitas emitidas por médicos cubanos não são mais aceitas pelo programa Farmácia Popular

Com o desligamento dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos, as farmácias inscritas no Farmácia Popular não conseguem mais distribuir remédios prescritos em receitas feitas pelos médicos desligados.

Em Ourinhos, uma moradora da Cohab relatou que não conseguiu retirar, em uma Farmácia Popular, o seu remédio para pressão alta com a receita que valeria ainda pelos próximos três meses.

Uma farmácia ourinhense explicou que para entregar o medicamento pelo Farmácia Popular é necessário o registro do produto, do paciente e do médico no sistema do programa. No entanto, depois do desligamento dos médicos do Mais Médicos, o sistema do Farmácia Popular já não aceita o número do CRM (Conselho Regional de Medicina) do profissional cubano afastado e a farmácia é desautorizada a fornecer o medicamento.

Segundoos funcionários das UBS’s de Ourinhos, as unidades da cidadedisponibilizaram-se a refazer as receitas de imediato sem que seja necessáriomarcar a consulta com o novo médico. Os pacientes devem ir até aunidade de saúde que costumavam ser atendidos, com o documento feito peloantigo médico, o cartão do SUS e solicitar a recuperação da receita narecepção.

Fonte: Contra Tempo

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação