Comércio online de medicamentos tem apenas 110 operadores

Levantamento realizado entre os usuários da plataforma de comparação de preços Consulta Remédios aponta que as redes varejistas com canais de venda online são as empresas mais estruturadas na venda de medicamentos na web. Em 2018, a Bifarma apresentou o melhor custo benefício para o consumidor online, conquistando 9,5% do total de 9,185 milhões de intenções de compras pela plataforma. A rede, que possui 250 lojas físicas, distribuídas em 50 cidades entre São Paulo e Minas Gerais, despontou entre as pesquisas dos usuário com 873 mil aparições de melhor preço.

A vice-liderança foi obtida pela Onofre, que atraiu 8,9% das intenções de compras, empatada tecnicamente com a Droga Raia (8,8%). A Drogaria São Paulo ficou em 4ª, com 8,4%. A quinta posição foi da Drogaria Nova Esperança, de São Paulo (SP), com 7,6% e que opera exclusivamente no canal online.

A lista segue com Drogasil (6ª), Drogarias Pacheco (7ª), Farmagora (8%), de Joinville, mas só com comércio eletrônico, e duas farmácias independentes da cidade de São Paulo, a Drogaria Livieiro (9ª) e a Gigafarma (10ª).

Vale ressaltar que 36,7% das intenções de compras se distribuíram por vários outros operadores de venda de medicamentos online. “Enquanto o Brasil tem 80 mil farmácias físicas, o comércio eletrônico de medicamento se restringe a uns 2.800 canais de venda, controlados por 110 varejistas farmacêuticas”, lembra Paulo Vion, CEO da plataforma de pesquisa.

No ano passado, os pedidos que transitaram plataforma Consulta Remédios totalizaram R$ 2,352 bilhões. Sob o ponto de vista de gastos gerados pelos usuário, o cenário muda radicalmente. As cinco primeiras empresas com mais potencial de faturamento são especializadas em medicamentos de alto custo. A Pharma-K desponta à frente, com 16,4% dos melhores preços consultados entre os medicamentos especiais para doenças de alta complexidade, muito à frente da segunda colocada, a 4Bio Medicamentos Especiais, com 6%. Mais de 42,4% dos operadores têm menos de 3,5% das compras.

Medicamentos mais buscados em 2018

Entre os medicamentos mais pesquisados em 2018, o Xarelto (Rivaroxabana), da Bayer, utilizado para prevenir a formação de coágulos de sangue nas veias após cirurgia, é o campeão. Se somados remédios genéricos e de marca para disfunção eréctil, esta categoria é a segunda mais buscada pelos usuários da plataforma. O Jardiance (Empagliflozina), da Boehringer Ingelheim, e Victoza, da Novo Nordisk, indicados para o tratamento do diabetes, também estão entre os mais buscados.

A lista também contempla os genéricos Orlistate, para tratamento de obesidade; e a Rosuvastatina Cálcica, para colesterol. O Anastrozol, da Eurofarma, para o tratamento do câncer de mama inicial em mulheres na pós-menopausa; e o anticoncepcional Mirena (Levonorgestrel), da Bayer, fecham o ranking.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar