Notícias do setor farmacêutico

Anvisa completa 20 anos e tem muitos desafios à frente

2.191


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realiza nesta terça-feira, 29 de janeiro, a partir das 11h, uma cerimônia em comemoração aos 20 anos da instituição. O evento ocorrerá em Brasília e contará com a presença dos últimos diretores-presidentes para um debate a respeito dos pontos de destaque da atuação da autarquia, durante os seus respectivos mandatos. Além disso, os atuais diretores apontarão para a sociedade os desafios para próximos 20 anos. 

Durante a solenidade, a Anvisa lançará, juntamente com o Ministério da Economia, o serviço de emissão digital do Certificado Internacional de Vacinação. O Brasil será o primeiro país a oferecer um serviço online, gratuito e descentralizado de emissão desse certificado, exigido em mais de 100 países. Com base em metodologia utilizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a estimativa de redução de custos para o Estado e para os cidadãos pode chegar a R$ 120 milhões por ano. 

A agência também está focada em estabelecer novos marcos regulatórios, que possam responder ao desafio de um mundo em permanente evolução técnico-científica. Recentemente, por meio de uma resolução, ela regulamentou a pesquisa clínica das  terapias avançadas, voltadas a desenvolver produtos baseados em células e em genes.

“Há muito o que comemorar nos 20 anos da Anvisa. Graças ao seu trabalho, a população tem mais acesso a novos medicamentos e produtos com qualidade assegurada. Sinto orgulho por ter participado dessa história, compartilhando com os servidores e com meus colegas dirigentes uma série de iniciativas que melhoraram significativamente o desempenho da Anvisa”, afirma Jarbas Barbosa, ex-presidente da instituição e atual vice-diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

O executivo destaca, como desafio para os próximos anos, a busca de maior eficiência e transparência em todos os processos de registro, inspeção, monitoramento, coordenação do sistema e a continuidade do protagonismo nos fóruns internacionais de harmonização.

Criação dos genéricos

Em 1999, a instituição ampliou o acesso da população aos medicamentos por meio do fortalecimento da política dos genéricos. Em apenas dois anos foram concedidos 144 registros de medicamentos, em 44 classes terapêuticas e distintas formas farmacêuticas, de comprimidos a injetáveis.

Os medicamentos genéricos, que são, por lei, no mínimo 35% mais baratos do que os produtos de marca e têm idêntica ação terapêutica, permitiram o acesso a remédios de alta tecnologia, como aqueles que são fornecidos às pessoas que convivem com o HIV.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })