Programa da Sandoz bate recorde de pacientes em tratamento com hormônio do crescimento

O programa da Sandoz de orientação a pacientes diagnosticados com déficit de crescimento, o Somar, alcança mais de 2,5 mil pacientes em tratamento. Em 2018, houve um crescimento de 37% no número de pacientes beneficiados em relação ao ano anterior.

 

O objetivo do Programa Somar é dar suporte  a famílias de crianças e adolescentes em tratamento com o hormônio de crescimento da Sandoz. São oferecidos serviços gratuitos especializados e um acompanhamento periódico durante toda a jornada do tratamento, facilitando e apoiando cada etapa do processo.

 

Desse modo, é possível assegurar o uso correto e seguro do medicamento, um produto biológico injetável, administrado através de uma caneta aplicadora de alta tecnologia – uma inovação da Sandoz desenvolvida especificamente para pacientes em uso de hormônio de crescimento.  A média de crecimento anual de pacientes pediátricos com deficiência de GH em tratamento com o hormônio de crescimento da Sandoz é de 8,7 cm1.

 

O serviço especializado oferecido pelo Programa Somar é feito por enfermeiros capacitados e habilitados para dar orientações sobre o manuseio do produto. Os profissionais visitam os participantes do programa em casa em todo território nacional ou através de conferências via web, contato que facilita a compreensão de como é realizada a aplicação do hormônio de crescimento – a ideia é dar autonomia da aplicação a todos os envolvidos, tanto pacientes como familiares. Essa contato próximo é o grande responsável pela marca atingida recentemente.

 

Sobre o déficit de crescimento

O crescimento é um fenômeno biológico com grande influência genética. No entanto, fatores do ambiente, como má alimentação, situações de estresse ou doenças podem influenciar o desenvolvimento dos pequenos. Há ainda crianças que apresentam deficiência na produção do chamado “hormônio do crescimento”, que desempenha um papel central no crescimento dos ossos, músculos e tecidos2. Quando o organismo não produz esse hormônio naturalmente, surge a necessidade de iniciar um tratamento medicamentoso, com injeções de hormônio do crescimento. O hormônio de crescimento recombinante ainda é aprovado para indicações onde a criança não cresce, apesar de não haver deficiência hormonal (síndromes genéticas e crianças com baixa estatura que nasceram pequenas para idade gestacional, entre outras), e também para adultos com deficiência de hormônio de crescimento3.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies