Aplicativo criado por brasileira evita desperdício de remédios em casa

O descarte de medicamentos por perda de tempo hábil para consumo gera um grande impacto ambiental, principalmente no caso de antibióticos, que são altamente tóxicos à natureza. Para se ter uma, um estudo realizado em terrenos e águas próximas a fábricas da Índia, onde grande parte dos antibióticos do mundo é produzida, concluiu que nessas áreas há altos níveis de poluentes farmacêuticos.

“Muitas empresas farmacêuticas europeias têm fábricas em países em desenvolvimento, que permitem que elas prosperem com uso de mão de obra barata e regulações ambientais fracas”, relatou em entrevista ao jornal The Telegraph Adela Maghear, porta-voz de políticas da organização internacional Healthcare Without Harm Europe.

Em 2010, o governo brasileiro instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS): segundo a Lei 12.305/2010, cuidar do problema cabe aos fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos e, claro, aos cidadãos.

Fonte: Revista Galileu

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar