Pegaki aumenta seu alcance com solução focada no consumidor final

A empresa que se consolidou no Brasil como uma alternativa aos Correios entrega nas mãos do consumidor uma solução para que ele nunca mais perca uma entrega. Cliente poderá comprar em qualquer e-commerce brasileiro e retirar em mais de 600 endereços

Depois de inovar no segmento de logística no Brasil, conectando e-commerces ao varejo físico para entrega de mercadorias, a Pegaki amplia sua atuação com uma solução que promete ajudar o consumidor a nunca mais perder uma entrega. Se até então o serviço de pontos de retirada estava restrito às compras feitas em e-commerces parceiros da Pegaki, agora, ele está disponível em qualquer comércio eletrônico do País. Por meio da nova solução, os consumidores poderão se livrar da dependência dos Correios e escolher entre mais de 600 endereços de entrega, como farmácias, shoppings centers e supermercados, inicialmente em São Paulo.

O CEO e fundador da Pegaki, João Cristofolini, explica que a primeira solução criada pela empresa continua funcionado normalmente: os e-commerces parceiros inserem em sua página a opção de entrega por meio dos pontos de retirada da Pegaki e o consumidor escolhe por lá mesmo essa forma de retirada. Mas, agora, a empresa vai além desse modelo e oferece o serviço direto para o consumidor. “A ideia é que ele tenha a liberdade de usar a proposta de logística da Pegaki em todas as suas compras e não esperar que aquele e-commerce seja um parceiro nosso para usufruir dos pontos de retirada”, explica.

Para utilizar o serviço da Pegaki é muito simples: basta que o cliente entre no site da empresa e se cadastre, informando o CEP de sua residência ou de seu trabalho para que a plataforma sugira os pontos de retirada mais próximos daquele endereço. Após escolher o ponto mais vantajoso, o cliente informa em qual e-commerce vai fazer a compra. Ele receberá um e-mail com o endereço do ponto de retirada e um código, que deverão ser utilizados na página de compra do produto.

“Com isso em mãos basta que o consumidor preencha normalmente a página de compra do e-commerce e, no endereço de entrega, insira o endereço do ponto de retirada. Já o código deve ser inserido no campo de complemento. Esse código entra no sistema da Pegaki e, assim que o produto chegar no ponto de retirada, o cliente recebe um SMS avisando”, completa Cristofolini. Para utilizar esse serviço, o cliente paga uma taxa de R$ 4,95 por compra.  Vale ressaltar que o peso máximo das entregas permitido é de 15kg.

O CEO está otimista com o lançamento do novo serviço, principalmente porque ele acredita que o modelo já foi bem recebido pelos consumidores no Brasil. “As pessoas não toleram mais atrasos nas entregas, não podem ficar em casa esperando o dia que a encomenda vai aparecer e também não conseguem ir a uma agência dos Correios porque estão trabalhando. Esse modelo de pick up points dá ao consumidor a possibilidade de ir buscar sua compra em um estabelecimento próximo da sua casa ou do seu trabalho em um horário que cabe na agenda dele”, reforça

João Cristofolini acredita que a vantagem de não restringir o serviço da Pegaki apenas aos e-commerces parceiros deve ajudar a empresa a crescer no Brasil. “A operação tende a escalar de maneira exponencial ainda este ano. Nosso objetivo é alcançar 3 mil pontos de retirada, o equivalente a 50% do volume das agências dos Correios. Hoje já contamos com mais de 600 pontos de retirada e realizamos mais de 40 mil entregas, número que deve aumentar como esse novo formato”, aposta.

Segundo o CEO, a rede de pontos de retirada da Pegaki comporta os mais diversos tipos de estabelecimentos, mas a empresa tem focado especialmente em farmácias, lojas de conveniências em postos de gasolina e shoppings centers. Ele lembra que, nesse modelo, os pontos de entrega se beneficiam com a atração de novos consumidores.  “Em média, 30% das pessoas que vão retirar sua encomenda acabam levando algum produto daquele ponto”, frisa.

Empresa fortalece parceria com e-commerces

Se por um lado a Pegaki trabalha para aumentar sua operação com solução focada no consumidor, por outro, a empresa permanece fortalecendo seu produto de base por meio das parcerias com os e-commerces. Em 2019, a Pegaki pretende lançar três novos formatos de serviços para esses comércios eletrônicos parceiros. As novidades são: pontos de retirada exclusivos; inserção de pontos de coleta de mercadoria para as transportadoras e expansão do serviço de reversa, que é para a devolução ou a troca do produto.

Segundo o CEO, os pontos exclusivos serão para aqueles comércios eletrônicos que desejarem ter um ponto de retirada que os atenderão com exclusividade. O benefício, nesse caso, é que o e-commerce passa a ter um ponto de referência de sua marca e pode apostar, inclusive, em publicidade e personalização do ponto.

Já o serviço de reversa por meio de um ponto físico tem o objetivo de facilitar a vida do consumidor e, assim, estimular novas vendas. “Fora da Pegaki, o cliente que precisa trocar ou devolver um produto tem que utilizar o serviço dos Correios.  Com nossa rede de pontos de retirada esse serviço é facilitado: o cliente pode deixar sua compra no ponto de retirada e o e-commerce retira”, detalha.

A novidade de inserção de pontos de coleta dentro dos pontos de retirada segue a missão da Pegaki de facilitar a logística dos e-commerces. Segundo João Cristofolini, esses pontos de coleta serão para concentrar a retirada de maior volume de mercadoria pelas transportadoras. “Na prática, o vendedor do pequeno e-commerce leva os produtos até o ponto mais próximo de seu local e uma transportadora coleta para entregar ao cliente final, reduzindo assim custos de frete”, explica.

No páreo

A Pegaki é finalista em três categorias do prêmio da ABCOMM – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. A empresa concorre nas categorias startup do ano, logística no e-commerce e empreendedor digital. A votação já está aberta no site da ABCOMM: https://www.abcomm.org/votacao.php

Sobre a Pegaki

A rede de pontos de retirada da Pegaki disponibiliza a solução para o problema das entregas não realizadas, sem investimento em infraestruturas caras, como lojas próprias ou lockers. O negócio funciona da seguinte forma: o consumidor compra online em e-commerces e retira seu produto no ponto Pegaki mais conveniente, que são estabelecimentos parceiros que funcionam como pontos de retirada. Dessa forma, a Pegaki traz benefícios para todos as partes envolvidas – os consumidores, os e-commerces, as transportadoras e os estabelecimentos que operam como pontos de retirada.

A Pegaki foi fundada por João Cristofolini (CEO), Ismael Costa (CTO) e Daniel Frantz (COO). Os três executivos possuem vasta experiência no mercado corporativo e de startups. João destaca-se pela construção de uma rede de franquias com mais de 30 unidades pelo Brasil, pela autoria de 6 livros de negócios, além da fundação do ResumoCast, podcast de negócios mais acessado do iTunes no Brasil.

Já Ismael Costa também é CTO e Co-fundador da ConnectMoves e profissional com experiência de dez anos em desenvolvimento de softwares e aplicativos. Por fim, Daniel Frantz foi COO e Sócio da Amplio/Metta Trading por 7 anos e é fundador da Solesto, e-commerce com faturamento de mais de R$ 3,5 milhões por ano.

O perfil dos empreendedores e o potencial disruptivo do negócio da Pegaki vem despertando interesse dos investidores. A empresa foi acelerada pela Cotidiano Aceleradora, em uma primeira rodada de investimento de R$100 mil. Em 2017, a Pegaki recebeu um segundo aporte, de R$360 mil, via EqSeed, plataforma que conecta startups a investidores. O valor foi levantado em apenas 9 dias. Já em 2018, a empresa captou R$ 1,2 milhão pela mesma plataforma. Mais informações:http://pegaki.com.br/

Fonte: Empreendedor

1 comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar