"
" "
"

Gehaka lança moinho de rolos para farmácia de manipulação

Desenvolvido para dispersão e homogeneização de partículas próprias de produtos cosméticos na consistência de pastas, cremes e outros, o MRG2020 é um moinho de rolos específico, próprio para farmácias de manipulação, que tem como objetivo dinamizar o processo de quebra dos grumos e atender às necessidades desse segmento, diminuindo o tempo de confecção e aumentando a qualidade do produto final. Como o único equipamento desenvolvido e fabricado no Brasil, a Gehaka o lançará no evento Pharma Share 2019 com exclusividade.

Foto: DINO / DINO

SEU FUNCIONAMENTO

Construído inteiramente em aço inoxidável, o moinho é composto por três rolos finalizados em cromo duro que têm a função de quebrar os sólidos expostos a seu mecanismo, girando constantemente em velocidades diferentes. Os dois rolos traseiros puxam o material e o rolo frontal o aperta à espessura máxima de 10 mícrons, ou seja, dez milésimos de milímetro. A partir dessas determinações, os componentes solidificados da fórmula adquirem uma consistência homogênea por meio de cilindros que se chocam uns nos outros e posteriormente são retirados por um raspador.

É importante lembrar também que, por ter rolos revestidos com cromo duro, o farmacêutico pode utilizar várias matérias-primas no MRG2020, além de trabalhar com bases e pigmentos diversos. Os moinhos até então disponibilizados no Brasil têm somente rolos de cerâmica, que limitam a fabricação de cosméticos apenas com produtos na cor branca. Com a chegada do MRG2020, elevou-se a gama de produtos e foi eliminada a contaminação cruzada, que é outra grande preocupação nas farmácias, face às boas práticas de manipulação.

“Os cilindros trabalham em direções opostas e são regulados individualmente. Todos os componentes são totalmente homogeneizados, retirando-se o ar do produto e reduzindo ao mínimo o tamanho das partículas sólidas. Com isso, o creme, por exemplo, fica essencialmente ativo devido à facilidade de aplicação e à profunda penetração na pele”, explica Alexandre Fernandes, diretor de engenharia da Gehaka.

Segundo o engenheiro, o processo ainda comum nas farmácias de manipulação é que a quebra dos grumos, e demais conteúdos solidificados, seja feita à mão, utilizando-se de força humana e movimentos repetitivos, o que afeta muito o tempo de produção. Por isso, a função do MRG2020 é misturar o produto em substâncias semissólidas e incorporar de forma homogênea todos os materiais, transformando-os em micropartículas.

Dentre as características importantes do dispositivo, está a um controlador digital, com tela sensível ao toque, que proporciona ao usuário um controle ainda maior de sua produção, como o controle exato da velocidade dos cilindros, que variam de 300 RPM, o recomendado pela marca, até 700 RPM. “Contudo”, explica Fernandes, “a tecnologia digital também auxilia em casos de dúvidas na operação, pois o controlador do moinho incorpora um guia rápido, de fácil acesso ao farmacêutico.”

ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Por ser um produto nacional, conta com um suporte local de assistência técnica oferecida diretamente pelo fabricante. Após a venda, os técnicos da Gehaka realizam a entrega técnica do moinho e simultaneamente treinam os usuários, a fim de que não haja dificuldades no uso. O MRG2020 atende aos requisitos da NR12, o que garante a segurança no uso.

Além disso, de acordo com Fernandes, o moinho apresenta boas condições de durabilidade, com poucas chances de desgaste por ser feito totalmente em aço inoxidável e com rolos revestidos em cromo duro. Isso também facilita o seu processo de limpeza a cada troca de fórmula.

Outros fatores importantes são as interfaces de dados tipos Serial RS232C e USB 2.0, que possibilitam o controle do moinho por meio de um computador. Também elimina perdas de amostras e pode ser usado para qualquer formulação e viscosidade, com produção silenciosa, mínima ocupação de espaço sobre a bancada e maximização dos benefícios das fórmulas para os pacientes.

COMPRA FACILITADA

Com o objetivo de atender às necessidades das farmácias de manipulação, a Gehaka decidiu investir e criar o MRG2020, utilizando tecnologia desenvolvida no Brasil, proporcionando um custo muito mais acessível que os similares importados e condição de pagamento facilitado por meio de linhas de financiamento competitivas, como a do cartão BNDES.

“Com o novo desenvolvimento da Gehaka, e por se tratar de um produto totalmente nacional, conseguimos que o BNDES financiasse o processo de compra”, explica Miguel Silva, coordenador de vendas da fábrica. “Agora as farmácias de manipulação, com a linha de crédito oferecida pelo cartão BNDES, vão conseguir adquirir o equipamento, por exemplo, em 48 parcelas mensais de R$ 553,00. Dessa forma, o farmacêutico provavelmente obterá o retorno de seu investimento muito antes de terminar de pagar o financiamento.”

Fonte: Terra

"
" "
"

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies