Notícias do setor farmacêutico

Novo Nordisk anuncia metas para atingir impacto ambiental zero

Estratégia Circular for Zero visa reduzir as emissões de CO2 da empresa a zero até 2030, entre outras iniciativas. Fábrica no Brasil já aplica medidas sustentáveis para minimizar seu impacto ambiental

Com mais de 95 anos de liderança no tratamento do diabetes, a Novo Nordisk anuncia hoje que atingirá sua meta, estabelecida em 2015, de utilizar apenas energia elétrica renovável em todas as suas plantas industriais até 2020. Dentre os objetivos sustentáveis da empresa de saúde, voltada também para o tratamento de obesidade, hemofilia, distúrbios do crescimento e outras doenças crônicas, está a meta de alcançar zero emissões de CO2 em todas as suas operações e meios de transporte até 2030.

As iniciativas fazem parte de uma estratégia global de sustentabilidade chamada Circular for Zero, que tem o objetivo de tornar a Novo Nordisk uma empresa que compensa todo seu impacto ambiental. A meta foi construída baseada no conceito de economia circular, prevendo medidas para minimizar o consumo e transformar resíduos em recursos, desenvolver produtos que possam ser recuperados e reutilizados, além de colaborar com os fornecedores para incorporar a circularidade em suas cadeias de fornecimento.

No Brasil, a fábrica de insulinas da Novo Nordisk, localizada em Montes Claros (MG), é a única unidade de produção de insulinas no país e a maior da América Latina. Além de já consumir 100% de energia renovável por meio de energia hidrelétrica, a planta promove diversas ações para reduzir seu impacto ambiental. Periodicamente, são realizadas melhorias para aumentar a eficiência nos equipamentos da unidade, reduzindo o consumo de energia elétrica e o desperdício de água. Por ano, a fábrica economiza a quantidade de energia consumida por quase 2,4 mil casas e o volume de água utilizada por mais de 3,5 mil casas.

Responsável pela produção de 15% da insulina consumida no mundo, a fábrica ainda faz reuso de água industrial e reciclagem de materiais, incluindo óleo hidráulico e de cozinha, uniformes e eletroeletrônicos. Por mês, a unidade fabril recicla cerca de 48 toneladas de papel/papelão, 8 toneladas de plástico, 2 toneladas de metal e quase 1 tonelada de vidro. Outro destaque é a compostagem de materiais orgânicos, como restos de alimentos e podas de árvores. A fábrica reúne cerca de meia tonelada de compostos orgânicos por mês, que são transformados em adubo utilizado em sua área verde ou doado para a comunidade local.

No caso da produção de medicamentos, a fabricação e distribuição de frascos e canetas de insulina para as mais de 400 milhões de pessoas com diabetes no mundo demanda grande utilização de energia. Isso coloca a Novo Nordisk na linha de frente de alguns dos maiores desafios ambientais da atualidade. “Nossa responsabilidade como uma empresa de saúde vai além da produção de medicamentos. Proporcionar uma vida mais saudável para os pacientes com doenças crônicas graves significa também proteger o mundo em que vivemos. Por isso, nossa preocupação inclui garantir que os recursos que utilizamos sejam retornados ao meio ambiente”, afirma Allan Finkel, vice-presidente e gerente geral da Novo Nordisk.

Além da meta de emissões zero, a estratégia Circular for Zero engaja a empresa a uma mudança significativa voltada para a economia circular em três áreas-foco:

1. Empresa circular:

Reduzir a pegada ambiental da produção, trabalhando para a eliminação de resíduos enviados para aterros e perda zero de água, energia e recursos.

2. Suprimentos circulares:

Reduzir o impacto ambiental em toda a sua cadeia de fornecimento, colaborando com os fornecedores para incentivar práticas comerciais circulares e aumentando a aquisição de materiais e recursos reciclados e neutros em carbono.

3. Produtos Circulares:

Aprimorar os produtos existentes e projetar novos produtos baseados em princípios circulares, trabalhando em uma solução sustentável para sua reutilização e reciclagem.

Consumo de energia em outros países

Na Dinamarca, sede da Novo Nordisk, todas as instalações – produção e escritórios – funcionam com 100% de energia renovável. Na Europa e em Tianjin, na China, todas as unidades de produção consomem 100% de energia eólica.

Um dos investimentos mais significativos da empresa para atingir sua meta global foi a instalação de painéis solares na Carolina do Norte, EUA. A fonte de energia mais comum no país é o carvão mineral, recurso não renovável e altamente poluidor. A área investida pela Novo Nordisk corresponde a 2,7 milhões m2, o equivalente a 500 campos de futebol, e será responsável por fornecer energia a todas as operações norte-americanas da Novo Nordisk a partir de 2020.

A Novo Nordisk é a primeira empresa farmacêutica do RE100 a usar somente eletricidade renovável em sua produção. O RE100 é um compromisso global firmado por empresas comprometidas a alcançar o uso de 100% de energia elétrica renovável. Para ajudar a atingir sua nova meta ambiciosa e acelerar a adoção do pensamento circular em todas as áreas de negócio, a Novo Nordisk fará uma parceria com a Fundação Ellen MacArthur, uma das principais catalisadoras dos projetos de economia circular no mundo.

Para mais informações sobre a estratégia Circular for Zero, acesse: https://www.novonordisk.com/sustainable-business/zero-environmental-impact.html

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação