Notícias do setor farmacêutico

Prefeitura diz que Poupatempo negou farmácia de alto custo a Diadema

576
Prefeitura diz que Poupatempo negou farmácia de alto custo a Diadema
Prefeitura diz que Poupatempo negou farmácia de alto custo a Diadema

Em resposta a questionamento do Repórter Diário sobre a descentralização da Farmácia de Alto Custo – que funciona atualmente no Hospital Mário Covas, em Santo André -, a prefeitura de Diadema informou em nota que o Poupatempo negou a possibilidade de acolher uma farmácia de alto custo descentralizada, da mesma forma que acontece em São Bernardo, onde a unidade está prestes a ser inaugurada. A prefeitura sugere na nota, que foi tratada de forma diferente.

O questionamento feito ao município veio de reportagem do RD sobre a proposta de instalação de farmácias descentralizadas de alto custo nos Poupatempo de São Bernardo, que deve ser inaugurada nos próximos dias, e de Santo André.  “A Assessoria de Imprensa informa que houve tratativas entre a Prefeitura e o Poupatempo de Diadema, sendo que este negou a possibilidade de acolher a dispensação dos medicamentos. Diadema não se opõe ao recebimento do serviço, desde que o Estado, a quem compete esta responsabilidade, garanta os medicamentos e a infraestrutura e recursos humanos necessários ou recursos suficientes para financiá-la. Entretanto, diferente dos outros municípios, o Estado não ofereceu à Diadema condições de recebimento do serviço”, diz resposta da prefeitura.

A secretaria estadual de Saúde, informou que está aberta a negociação com os municípios. “A Secretaria de Estado da Saúde tem realizado estudos para otimizar o serviço de distribuição de medicamentos especializados no ABC. Inclusive, o primeiro piloto já em fase de finalização, com a implantação de um ponto de atendimento no Poupatempo de São Bernardo. A pasta segue à disposição dos municípios para discutir propostas e definir, conjuntamente, iniciativas que contribuam para a melhorar o atendimento à população”, diz nota da pasta estadual.

Já o Poupatempo não confirmou a negativa que a prefeitura de Diadema recebeu e diz que há estudos. “Há mais de 20 anos  o Poupatempo presa pela qualidade em seu atendimento e facilita a vida do cidadão na hora de retirar os documentos, sem burocracia. Até o momento não existe nenhuma experiência na distribuição de medicamentos. A prefeitura de Diadema, por meio de ofício, fez a solicitação em 2018 e o esclarecimento  foi que a estrutura dos postos era exclusivamente para emissão de documentos. Existe um estudo para que isso seja viável, mas ainda depende do resultado do projeto piloto, previsto em São Bernardo”, informou a assessoria de imprensa do órgão.

Fonte: Repórter Diário

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.