Opioides: começa julgamento contra laboratório

O primeiro julgamento contra os fabricantes de medicamentos analgésicos acusados de alimentar a crise de overdoses de opioides que atinge os Estados Unidos começou nesta terça-feira em Oklahoma com o laboratório Johnson & Johnson no banco dos réus.

Dos três laboratórios farmacêuticos acusados inicialmente neste estado, Johnson & Johnson, mais conhecido por seu talco para bebês que pelos medicamentos contra a dor vendidos por sua subsidiária Janssen, é o único que não alcançou um acordo amistoso com o procurador de Oklahoma para evitar um processo.

O laboratório Purdue Pharma, que se tornou o inimigo número um na crise dos opioides por fabricar o medicamento Oxycontin, chegou a um acordo com as autoridades do estado ao aceitar desembolsar 270 milhões de dólares.

O laboratório israelense Teva fez um acordo neste fim de semana e acordou pagar 85 milhões de dólares.

Johnson & Johnson quer demonstrar que não minimizou deliberadamente os riscos de dependência de seus medicamentos opioides, nem pressionou para que fossem prescritos em excesso, enquanto é acusado de ter contribuído para a morte de cerca de 400.000 pessoas por overdose nos Estados Unidos em 20 anos.

O advogado do laboratório, Larry Ottaway, disse em seus argumentos de abertura nesta terça-feira que se a Johnson & Johnson disse no fim da década de 1990 que os opioides “raramente causavam dependência”, foi porque a agência de medicamentos dos Estados Unidos, a FDA, subscrevia essa apreciação.

Mas o procurador-general de Oklahoma, Mike Hunter, acusou o laboratório de agir por “ganância”, apresentando de forma “cínica e enganosa” os opioides como “medicamentos mágicos” contra a dor.

Um procurador adjunto calculou em 870 milhões de dólares anuais o montante que esse estado do Meio Oeste deveria gastar para pôr fim à crise de saúde.

Este julgamento, comparado com frequência com os que ocorreram contra as empresas de tabaco e que terminaram com um amplo acordo de mais de 200 bilhões de dólares em 1998, deveria estabelecer também um precedente: cerca de 2.000 processos foram apresentados em nível federal, supervisionados por um juiz de Ohio, e centenas em nível dos estados, incluindo Nova York e Massachusetts.

Está previsto que as audiências, que se desenvolvem sem júri ante o juiz do estado, Thad Balkman, se prolonguem durante cerca de dois meses.

Fonte: Yahoo Finanças

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/04/24/dois-ex-diretores-de-farmaceutica-sao-condenados-pela-1aa-vez-por-opioides-nos-eua/

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies