Notícias do setor farmacêutico

Tratamento personalizado é considerado o futuro da medicina

837

Tratamento

“Cuidando de cada paciente, aprendendo com cada paciente”. O slogan do ASCO 2019, congresso da American Society of Clinical Oncology (Sociedade Americana de um Oncologia Clínica) reflete a expectativa dos médicos oncologistas para o futuro –próximo– da medicina: um tratamento cada vez mais personalizado e eficiente.

Em pacientes com câncer, os tumores tem características genômicas diferentes, mesmo quando a doença é a mesma. Ou seja, as informações de seu DNA são distintas, o que pode afetar o tratamemto. Três tumores de câncer de pâncreas, por exemplo, são totalmente distintos quando analisado sob esse ângulo.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/06/03/testes-de-drogas-cardiologicas-sao-feitos-com-so-1-3-de-mulheres/

“Cada vez mais estamos fazendo análises genômicas desses tumores e a ideia é tratar cada um de uma forma, já que suas singularidades ditarão qual resposta o paciente terá”, aponta Sérgio Simon, presidente da SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica).

Para que isso aconteça, são necessários banco de dados enormes, construídos com autorização dos pacientes e processados por programas de computadores. “São muitos genes e combinações específicas, então somente programas de bioestatística conseguem analisar o que encontramos no estudo genômico e dar uma resposta sobre o que foi mutado e o que está dirigindo aquele tumor”, explica Simon.

Avanço já chegou no Brasil

O mapeamento dos pacientes já está sendo testado em algumas instituições privadas no Brasil, mas de acordo com Simon, a ideia é que isso fique cada vez mais popular, aprofundando e modernizando o processo.

Hoje, a espera para que uma análise genômica fique pronta é de cerca de 15 dias, mas encontrar os novos genes, com alterações muito pequenas, demanda um longo tempo de pesquisa e um grande banco de dados.

“Análise completa mapeia todos os mais de 20.000 genes do paciente, estudamos cerca de 500 que são os responsáveis pelo câncer. A pesquisa pelas pequenas alterações continua e acredito que, em 10 anos, essa técnica ser a tônica da pesquisa em oncologia”, conclui o especialista.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: UOL

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.