"
"

Drenagem além da celulite

A drenagem linfática é uma das queridinhas das clínicas de beleza, mas o que pouca gente sabe é que o método, além de amenizar a aparência da celulite, também é benéfico para a saúde, ajudando até a expulsar fungos e bactérias da corrente sanguínea.

“O linfático é o nosso principal sistema de defesa contra infecções, sendo assim, com uma potencialização do seu funcionamento podemos prevenir alguns quadros infecciosos”, afirma a angiologista e cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro da SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular) e do American College of Lifestyle Medicine.

Entendendo o sistema linfático

Para entender como a drenagem funciona, primeiro é importante desvendar o sistema que é foco da técnica. Constituído por um conjunto de vasos que formam um caminho paralelo ao da circulação sanguínea, esses dutos do sistema linfático são percorridos pela linfa –um líquido claro que tem a função de faxinar todos os cantinhos do corpo, removendo impurezas e micro-organismos que se instalam nos tecidos.

Ao longo desse caminho, também existem os gânglios, que funcionam como filtros, detendo os micróbios indesejados arrastados pela linfa e evitando que eles voltem para o sangue. A má notícia é que, em alguns momentos, esse conjunto de estruturas pode apresentar defeitos provocados, principalmente, por alterações hormonais.

Essas disfunções costumam aparecer, por exemplo, na tensão pré-menstrual, na gravidez ou em algumas doenças, dificultando a absorção dos fluídos corporais, o que leva ao inchaço e compromete a eficiência do trabalho da linfa. E aí que a drenagem linfática é mais do que bem-vinda.

“A técnica estimula o sistema linfático a recolher o líquido que ficou acumulado, otimizando esse processo natural do organismo, ajudando a combater o edema [inchaço] e eliminando as toxinas e os micro-organismos”, explica Isabel Luiza Piatti, especialista em estética e cosmetologia, embaixadora do CIA (Centro e Instituto Internacional de Aprimoramento e Pesquisas Científicas), e membro do Conselho Científico da ABEC (Academia Brasileira de Estética Científica).

Para isso, o profissional, que deve ser capacitado e ter conhecimento de anatomia, pressiona com delicadeza os gânglios, estimulando-os, e faz movimentos repetitivos e suaves pelo caminho seguido pela linfa.

Drenagem também atenua a celulite

O ganho adicional do tratamento é o que diz respeito à estética. “A técnica é feita manualmente ou com a ajuda de aparelhos e pode ser aplicada no rosto ou no corpo, diminuindo a retenção de líquido e, por tabela, o inchaço”, conta a dermatologista Juliana Toma, do Hospital das Clínicas, da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

O aperto provocado pelo líquido em excesso nos tecidos prejudica a circulação como um todo, favorecendo o aparecimento das celulites. A drenagem ainda é importante na recuperação de cirurgias, especialmente as plásticas e as mastectomias totais, quando as mamas e os gânglios da axila do paciente são retirados por causa de um câncer.

Contraindicações da drenagem

É preciso ter cuidado com a indicação desse tipo de massagem. “Ela pode desencadear uma trombose ou uma embolia, se a pessoa tiver problema com coágulos ou levar à proliferação de um câncer, caso ela seja portadora da doença e não esteja sendo tratada adequadamente”, alerta Lamaita.

“Quem tem problemas vasculares, hipertensão descompensada ou insuficiência cardíaca também devem evitá-la”, diz Toma. “Existem ainda estudos que indicam que ela também não é recomendada para quem está com sinais de infecção, pois há o risco de algumas células infecciosas caírem no sistema linfático e daí se espalharem pelo corpo”, acrescenta. Na dúvida, converse com o seu médico antes de marcar uma sessão.

Atitudes que ajudam na circulação da linfa

Além da drenagem, existem atitudes corriqueiras e que podem ser feitas durante o dia a dia que ajudam o líquido a circular e a fazer a “faxina” nos vasos. Tome as seguintes atitudes e observe os efeitos:

  • Pratique exercícios;
  • Não fique muitas horas na mesma posição;
  • Tome muita água;
  • Se tiver tendência a problemas circulatórios, use meias elásticas;
  • Duram com travesseiros sob as pernas para que elas fiquem mais elevadas que o corpo.

Fonte: UOL

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar

Política de privacidade e cookies