Genéricos somam 8,5% do consumo de medicamentos no Ceará

Genéricos

Os medicamentos genéricos foram o único segmento da indústria farmacêutica que cresceu em participação de mercado no País nos últimos quatro anos. Em abril de 2015, esses itens somavam 27,5% das vendas em unidades, índice que atingiu 34% de participação em igual período deste ano, um avanço de 6,5 pontos percentuais.

O levantamento foi realizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos), com base nos dados IQVIA, empresa que audita as vendas do varejo farmacêutico no Brasil.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/06/26/economia-em-medicamentos-pesquisa-aponta-busca-por-opcoes-mais-baratas/

No Ceará, o crescimento ficou abaixo da média nacional. A comercialização de genéricos saltou 2,5 pontos percentuais no período analisado, saindo de 6% para 8,5%. Já o desempenho do Nordeste foi melhor que o observado no País. A região registrou a segunda maior expansão, de sete pontos percentuais. A participação desses medicamentos foi de 24,2% para 31,21%.

O Centro-Oeste teve o maior aumento (de 24,47% para 32,3%). Mas o mercado de genéricos também cresceu nas regiões Sudeste (de 30% para 36,6%), Sul (de 28,2% para 33,3%) e Norte (de 20,8% para 26%). O desempenho do setor é explicado pela combinação de diferentes fatores.

Além da venda ser impulsionada pela qualidade dos produtos e preços mais baixos, em relação aos valores dos medicamentos similares e de referência, o orçamento mais apertado das famílias também justifica a maior demanda. Com a economia nacional ainda fraca e o alto índice de desemprego, que atualmente atinge 13 milhões de brasileiros, os genéricos aparecem como alternativa para os consumidores, principalmente, aqueles que precisam seguir tratamento médico.

Os genéricos custam, em média, 35% menos que os medicamentos de referência. De acordo com a PróGenéricos, desde que chegaram ao mercado naiconal há 20 anos, os já proporcionaram aos consumidores uma economia de mais de R$ 134 bilhões em gastos com medicamentos.

“O dado explica de forma contundente porque os genéricos crescem de forma constante e disseminada em todas as regiões do País”, diz Telma Salles, presidente da PróGenéricos, lembrando que confiança dos médicos nesses medicamentos vem ajudando a impulsionar as vendas do segmento. “Dos 10 medicamentos mais receitados no país no primeiro trimestre, sete foram prescritos com a indicação do princípio ativo genérico”.

O Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE) realizará, de 7 a 10 de novembro deste ano, a 2ª edição do Feirão do Imóvel do Sinduscon, no shopping RioMar Fortaleza. Farão parte do evento bancos com crédito pré-aprovado, cartórios e diversas lojas (de móveis, decoração, eletrodomésticos, colchões, iluminação e revestimento, entre outras). Cerca de 10 mil imóveis serão ofertados, com preços que variam de R$ 100 mil a R$ 4 milhões. As unidades estão localizadas na Capital e em municípios da Região Metropolitana.

“O mercado imobiliário está reagindo. Acredito que, com a aprovação da reforma da Previdência, a tendência é melhorar. O feirão é uma ótima oportunidade para quem busca condições exclusivas e adquirir a casa própria”, diz André Montenegro, presidente do Sinduscon-CE.

Arrecadação cresce 6% no Estado

De janeiro a junho deste ano, os contribuintes pagaram em torno de R$ 22,51 bilhões em impostos municipais, estaduais e federais no Ceará. O número é 6% maior que o total de R$ 21,22 bilhões desembolsados no Estado no primeiro semestre de 2018. Os dados são do Impostômetro, ferramenta online da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

No Brasil, nos primeiros seis meses de 2019, foram arrecadados cerca de R$ 1,24 trilhão, valor que também representa aumento de 6% em relação ao total de R$ 1,17 trilhão observado em igual período do ano passado.

Lançamento de produtos na indústria

A intenção de lançamento de produtos pela indústria brasileira cresceu 15,5% nos últimos 12 meses, segundo o Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial, publicado pela Associação Brasileira de Automação (GS1 Brasil). No Nordeste, apresentou aumento de 29%, quase o dobro da média nacional. O índice, que se baseia na solicitação de novos códigos de barras pelo setor para o lançamento dos itens, indica que os empresários estão mais confiantes quanto à retomada do crescimento econômico do País.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: O Povo Online

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar