Notícias do setor farmacêutico

Anvisa deve regulamentar produção medicinal da cannabis até novembro

193

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ), William Dib, disse nesta terça-feira que o órgão deve regulamentar a produção, o plantio, a importação e o transporte de cannabis para uso medicinal até novembro deste ano. A consulta pública à sociedade vai até 20 de agosto. Depois disso, a Anvisa fará a compilação das sugestões, em um prazo de 30 a 40 dias. Em seguida, o órgão votará a proposta de regulamentação.

–  Acredito que entre outubro e novembro essa proposta estará votada – disse Dib.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/?hl=pt-br

São duas consultas públicas abertas. Uma delas trata dos requisitos técnicos e administrativos para o cultivo da planta por empresas farmacêuticas, única e exclusivamente para fins medicinais e científicos. A outra traz os procedimentos para o registro e monitoramento de medicamentosproduzidos à base de cannabis, seus derivados e análogos sintéticos.

Dib participou nesta terça-feira de uma audiência pública na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados para debater o assunto. Também participaram do evento representantes do Ministério da Cidadania, do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Estudos da Cannabis.

O presidente da comissão, deputado Eduardo Costa (PTB-PA), autor do requerimento para a realização da audiência pública, demonstrou preocupação no sentido de o Congresso Nacional legislar sobre o assunto, para evitar que o Judiciário regulamente o assunto.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/07/08/anvisa-fara-audiencia-publica-para-decidir-se-libera-cigarros-eletronicos/

–  Quando nos omitimos, deixamos margem para o Judiciário legislar sobre o tema – disse o parlamentar.

Atualmente, apenas pacientes com autorização judicial podem produzir ou importar produtos à base de cannabis para uso terapêutico. As decisões são individuais, para cada paciente, e não para um grupo de pessoas. Com a regulamentação, a produção e a importação ficarão acessíveis a outros pacientes.

–  Hoje a Justiça confunde, porque autoriza famílias e associações a plantarem a cannabis sem nenhum tipo de segurança para o consumidor –  declarou Dib, ressaltando:

– A Anvisa não discute o uso recreativo e a liberação de droga, estamos discutindo apenas o uso medicinal.

Fonte: O Globo

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.