Mais farmácias disponibilizam exames do Hilab

Mais farmácias disponibilizam exames rápidos do Hilab

A oferta de testes rápidos já é uma realidade em 98 municípios brasileiros, segundo dados do Hilab, serviço de exames laboratoriais desenvolvido pela Hi Technologies. E um nicho que vem ganhando mercado nos últimos meses são os testes sazonais contra gripe, dengue, Zika e influenza. “Só neste último trimestre contabilizamos um aumento de 30% na comercialização desses exames”, ressalta o CEO Marcus Figueredo.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o número de mortes causadas pelo vírus da gripe no Brasil em 2019 chegou a 339 no dia 28 de junho. Já a circulação do influenza vem aumentado especialmente nos estados do Amazonas, Paraná e São Paulo.

“As farmácias podem aproveitar o inverno, período de maior incidência da gripe para aumentar o seu faturamento, e ainda oferecer o serviço como um diferencial ressaltando a importância da prevenção e do diagnóstico correto”, explica Figueredo. Segundo o executivo, outro aspecto relevante é que, mesmo durante os dias mais frios, alguns estados apresentaram grande demanda por testes de dengue e Zika, tais como Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo.

O Hilab oferece exames de Dengue IgG/IgM a um custo de R$ 57,90; Dengue NS1 (R$ 55,40); Zika IgG/IgM (R$115) e Influenza A e B por R$ 45. “As farmácias podem adotar uma margem de lucro de 30% a 40% para cada tipo de exame”, explica o CEO. Cerca de 40% de todas as farmácias que compõem a base do Hilab trabalham com testes de dengue e zika.

O dispositivo garante a entrega dos resultados em até 15 minutos, utilizando apenas algumas gotas de sangue e utiliza a inteligência artificial, IoT e laboratório próprio para analisar o resultado e emitir o laudo. Além de contribuir para a identificação de doenças crônicas não transmissíveis, o Hilab já auxiliou no diagnóstico de mais de 200 pessoas com suspeita dessas doenças somente nos primeiros dias do mês de abril.  A faixa etária que se beneficiou desse serviço inclui crianças e idosos, que são os mais vulneráveis à infecção.

 

Como funciona

Nos estabelecimentos, o farmacêutico realiza a coleta de sangue no dedo do paciente. O resultado é digitalizado e transmitido instantaneamente via internet para a equipe do laboratório central baseada em Curitiba (PR), onde são realizadas a análise e a emissão do laudo. Caso a farmácia esteja interessada na contratação do serviço, sua implantação é realizada em uma semana. O Hilab disponibiliza suporte ao farmacêutico, por meio de treinamentos, consultoria jurídica e de marketing, além de previsão de demanda com flexibilidade de mudança de planos. Gestores interessados em conhecer mais detalhes da plataforma e implementar os exames laboratoriais nas suas farmácias podem acessar a página https://hilab.com.br/contrate-o-hilab/.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/07/01/amazon-lanca-nova-modalidade-de-entrega-de-encomendas-em-farmacias-dos-eua/

6 Comentários
  1. Lauro diz

    Absurdo! Local de exames é em laboratório e não em mercado!!!!!!

    1. Erika diz

      ATÉ onde sei e consta na carta Magna brasileira, Farmácia é estabelecimento de saúde conforme descreve a lei 8080 entre outras descritas tambem na AMVISA. Portanto não é só comércio. Fica a dica!

  2. Erika diz

    ATÉ onde sei e consta na carta Magna brasileira, Farmácia é estabelecimento de saúde conforme descreve a lei 8080 entre outras descritas tambem na AMVISA. Portanto não é só comércio. Fica a dica!

  3. Gabi diz

    Modernização, agilidade, flexibilidade, é o futuro acontecendo!

  4. nicolle diz

    e desde quando farmácia é mercado?

  5. sandro diz

    Tecnologia a favor dos cidadãos…e realizado por profissionais Farmacêuticos habilitados em farmácias, estabelecimentos de saúde!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar