Mais farmácias disponibilizam exames do Hilab

Mais farmácias disponibilizam exames rápidos do Hilab

A oferta de testes rápidos já é uma realidade em 98 municípios brasileiros, segundo dados do Hilab, serviço de exames laboratoriais desenvolvido pela Hi Technologies. E um nicho que vem ganhando mercado nos últimos meses são os testes sazonais contra gripe, dengue, Zika e influenza. “Só neste último trimestre contabilizamos um aumento de 30% na comercialização desses exames”, ressalta o CEO Marcus Figueredo.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o número de mortes causadas pelo vírus da gripe no Brasil em 2019 chegou a 339 no dia 28 de junho. Já a circulação do influenza vem aumentado especialmente nos estados do Amazonas, Paraná e São Paulo.

“As farmácias podem aproveitar o inverno, período de maior incidência da gripe para aumentar o seu faturamento, e ainda oferecer o serviço como um diferencial ressaltando a importância da prevenção e do diagnóstico correto”, explica Figueredo. Segundo o executivo, outro aspecto relevante é que, mesmo durante os dias mais frios, alguns estados apresentaram grande demanda por testes de dengue e Zika, tais como Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo.

O Hilab oferece exames de Dengue IgG/IgM a um custo de R$ 57,90; Dengue NS1 (R$ 55,40); Zika IgG/IgM (R$115) e Influenza A e B por R$ 45. “As farmácias podem adotar uma margem de lucro de 30% a 40% para cada tipo de exame”, explica o CEO. Cerca de 40% de todas as farmácias que compõem a base do Hilab trabalham com testes de dengue e zika.

O dispositivo garante a entrega dos resultados em até 15 minutos, utilizando apenas algumas gotas de sangue e utiliza a inteligência artificial, IoT e laboratório próprio para analisar o resultado e emitir o laudo. Além de contribuir para a identificação de doenças crônicas não transmissíveis, o Hilab já auxiliou no diagnóstico de mais de 200 pessoas com suspeita dessas doenças somente nos primeiros dias do mês de abril.  A faixa etária que se beneficiou desse serviço inclui crianças e idosos, que são os mais vulneráveis à infecção.

 

Como funciona

Nos estabelecimentos, o farmacêutico realiza a coleta de sangue no dedo do paciente. O resultado é digitalizado e transmitido instantaneamente via internet para a equipe do laboratório central baseada em Curitiba (PR), onde são realizadas a análise e a emissão do laudo. Caso a farmácia esteja interessada na contratação do serviço, sua implantação é realizada em uma semana. O Hilab disponibiliza suporte ao farmacêutico, por meio de treinamentos, consultoria jurídica e de marketing, além de previsão de demanda com flexibilidade de mudança de planos. Gestores interessados em conhecer mais detalhes da plataforma e implementar os exames laboratoriais nas suas farmácias podem acessar a página https://hilab.com.br/contrate-o-hilab/.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/07/01/amazon-lanca-nova-modalidade-de-entrega-de-encomendas-em-farmacias-dos-eua/

4 Comentários
  1. Lauro diz

    Absurdo! Local de exames é em laboratório e não em mercado!!!!!!

    1. Erika diz

      ATÉ onde sei e consta na carta Magna brasileira, Farmácia é estabelecimento de saúde conforme descreve a lei 8080 entre outras descritas tambem na AMVISA. Portanto não é só comércio. Fica a dica!

  2. Erika diz

    ATÉ onde sei e consta na carta Magna brasileira, Farmácia é estabelecimento de saúde conforme descreve a lei 8080 entre outras descritas tambem na AMVISA. Portanto não é só comércio. Fica a dica!

  3. Gabi diz

    Modernização, agilidade, flexibilidade, é o futuro acontecendo!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar