Notícias do setor farmacêutico

Insulina inalável pode ser mais vantajosa em alguns casos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, autorizou a comercialização da primeira insulina inalável do Brasil. O produto serve para tratar diabéticos sem precisarem utilizar agulhas para injetar a insulina. Apesar de já ser aprovado para uso nos Estados Unidos desde 2014, ainda deve demorar alguns meses para estar disponível para venda.

De acordo com Raphael Del Roio Liberatore Junior, endocrinologista pediátrico e professor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, a nova medicação vem em uma espécie de uma ampola de plástico com a insulina em pó. A ampola vem conectada com um inalador e ao apertar o botão o pó é inalado.

O medicamento, no entanto, possui algumas contra-indicações: fumantes, asmáticos, pessoas com alterações respiratórias e até mesmo quem está resfriado ou com alguma infecção aguda das vias aéreas não deve utilizá-lo. Além disso, em crianças e adolescentes a insulina inalável ainda não foi aprovada.

Para Liberatore Junior, ainda sim a medicação possui vantagens se comparada com a insulina injetável, por promover uma melhor qualidade de vida. “A ação da insulina inalada é mais parecida com a insulina que o próprio corpo produz que a injetada” explica, justamente pela absorção mais rápida.

Fonte: Jornal da USP

Leia também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/07/01/brasileiros-terao-acesso-a-insulina-inalavel-para-controlar-o-diabetes/

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.