Genéricos variam quase 380%

genéricosSe existisse um medicamento para curar a “dor no bolso”, ele certamente se chamaria “pesquisa de preços”. Um estudo divulgado nesta terça-feira (6) pela Fundação Procon-SP encontrou uma grande diferença de valores entre uma farmácia e outra em Bauru. Para se ter uma ideia, o mesmo remédio genérico chegou a ter uma flutuação de preço de quase 380% em estabelecimentos diferentes. Os medicamentos de marca apresentaram diferença de até 110,5%.

O levantamento elaborado pelo Núcleo Regional do Procon Estadual de São Paulo foi realizado no dia 23 de julho. Em Bauru, envolveu oito drogarias distribuídas no município, onde foram pesquisados 65 medicamentos, sendo 32 de referência e 33 genéricos.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2018/09/04/rede-preve-investimentos-de-r-830-mil-e-nova-unidade-na-cidade/

A pesquisa aponta que, entre os genéricos, a maior variação foi de 379,5%, no Diclofenaco Sódico (usado para tratar dores e inflamações). Enquanto em uma farmácia bauruense a cartela de 20 comprimidos (50 miligramas) foi encontrada por R$ 2,49, o produto custava, em outra, R$ 11,94, uma diferença de R$ 9,45.

Já em relação aos remédios de marca (chamados de referência), a maior variação foi do Claritin (Loratadina, usado para tratar alergias). Em uma das farmácias de Bauru, a cartela de 12 comprimidos (10 miligramas) custava R$ 24,87. Já em outra, R$ 52,36. Uma flutuação de 110,5%, ou, em números absolutos, R$ 27,49.

58,9% MAIS BARATOS

A pesquisa divulgada nesta terça mostrou ainda que, comparando os preços médios dos medicamentos genéricos com os de referência, os primeiros saem pela metade do valor: 58,9% mais baratos.

Além de Bauru, a pesquisa foi realizada também na Capital, Araçatuba, Campinas, Guarujá, Jundiaí, Mauá, Praia Grande, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São Vicente, São José dos Campos, São José do Rio Preto e Sorocaba.

No site do Procon (www.procon.sp.gov.br), é possível acessa

 Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: Jornal da Cidade

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação