Notícias do setor farmacêutico

Remédios custam até 22 vezes mais caro de uma farmácia para outra

farmácia

O preço de medicamentos pode variar em até 2.258,82% de uma farmácia para outra, aponta levantamento da Fundação Procon-SP. A mesma substância pode custar 22 vezes mais caro a depender do local de compra. A pesquisa incluiu 115 estabelecimentos em 15 cidades do estado de São Paulo, incluindo a capital.

O estudo foi separado em categorias de genéricos e de remédios de marca, os chamados medicamentos de referência. A caixa com 30 comprimidos do genérico Hidroclorotiazida, 25 mg foi encontrada em um dos estabelecimentos por R$ R$ 4,01 e em outro por R$ 0,17, uma diferença de 2.258,82%, no município de Campinas.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/08/08/produtos-de-baixo-valor-agregado-sao-trunfo-para-varejo-nacional-ficar-de-pe/

No município de Mauá, foi registrado a maior diferença entre os medicamentos de marca. Por exemplo, o Aerolin (Sulfato de Salbutamol) – Glaxosmithkline, 2 mg/5 ml – Xarope 120 ml, era vendido opr R$ 48,90 em um local e em outro por R$ 9,45, variação de 417%.

Também em Mauá, o Procon-SP constatou a maior diferença média entre preços de genéricos e medicamentos de referência, que ficou em 63%.

Os preços podem variar de acordo com as redes, os municípios e política de descontos. A distância, o frete e os custos de armazenagem também influi no valor cobrado.

O Procon-SP recomenda que o consumidor sempre consulte a tabela de Preço Máximo da Anvisa para saber se os preços cobrados estão abusivos. Confira a pesquisa de preço em cada uma das 15 cidades aqui.

SIga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: Valor Investe

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação