Expocannabis reúne ciência, tecnologia e inovação sobre Cannabis medicinal e industrial

Expocannabis reúne ciência, tecnologia e inovação sobre Cannabis medicinal e industrial

Com a recente liberação da maconha medicinal em diversos países, evidencia-se essa tendência no mercado mundial.  A cannabis e seus usos terapêuticos relacionados a qualidade de vida, saúde, bem-estar e beleza, tem mobilizado um mercado bilionário. A estimativa é movimentar 32 bilhões até 2022. Na esteira da tendência mundial, o Brasil hoje está com processo ativo de consulta pública sobre o tema e teve a planta incluída na lista de Denominações Comuns Brasileiras da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o que abre possibilidades ainda maiores para esse setor no país.

Longe de ser apenas uma droga ilícita em muitos países, a maconha pode ser usada para inúmeras outras funções, extremamente importantes, sem que haja o efeito psicotrópico. Doenças crônicas e com características de dor intensa como epilepsia, fibromialgia, câncer, autismo e ansiedade têm apresentado resultados promissores com o uso do canabidiol, o princípio ativo extraído da planta. Além do uso medicinal, figura o uso industrial, através das diferentes possibilidades de utilização da fibra da planta, conhecida como cânhamo.

São inúmeras as pesquisas mais recentes sobre os efeitos positivos do canabidiol e diversas universidades estão mirando seus esforços nesse tema, pois existe um amplo leque de aplicações medicinais da cannabis ainda a ser explorado. O aspecto terapêutico da maconha está tão em evidência que recentemente o departamento de Farmacologia da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, abriu um mestrado somente sobre cannabis medicinal.

Há cinco anos, sediada no Uruguai, a Expocannabis vem reunindo um público cada vez maior com o mesmo interesse: inovação e desenvolvimento do mercado da cannabis medicinal, terapêutica e industrial com o objetivo de ampliar conhecimentos e trocas de experiências sobre o tema, além de fomentar o desenvolvimento do setor.  Para os empresários e investidores brasileiros que miram nesse mercado lucrativo, é uma oportunidade de contatos e negócios relativos ao setor, bem como para o público que procura por mais informações sobre a cannabis medicinal, através de oficinas e consultórios com médicos especializados que estarão à disposição para consultas sem custo extra.

Todos os anos, durante três dias no mês de dezembro, atores do setor de diferentes países se reúnem na Expocannabis, uma feira que integra profissionais de diversas áreas em oficinas, painéis e palestras sobre resultados e avanços nas pesquisas sobre cannabis medicinal, regulação do mercado, usos industriais do cânhamo e diversos outros assuntos relevantes, além de colocar em contato empresários, investidores, pesquisadores, expositores e público em geral. O evento também oferecerá espaços de descanso, gastronomia, bebidas, shows e área recreativa, proporcionando ao participante momentos de diversão.

O conhecimento adquirido sobre os diferentes usos da maconha, comumente benéficos para a sociedade, e que transcendem a polêmica do uso recreativo, colocam essa planta no foco de um mercado que estima ganhos muito elevados nos próximos anos. Tanto a utilização da cannabis medicinal quanto o uso industrial do cânhamo vêm ganhando, a cada ano, mais e mais espaço no dia a dia da população mundial. A demanda está aumentando à medida que o setor busca, através da pesquisa científica e da troca de conhecimentos, como a estimulada pela Expocannabis, desmistificar o estigma de que a maconha é apenas uma droga psicotrópica.

SERVIÇOS EXPOCANNABIS 2019
Onde: Centro de eventos Latu – Montevideo – Uruguay
Quando: 6, 7 e 8 de dezembro de 2019
Ingressos e mais informações: http://br.expocannabis.uy/

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/06/13/17-milhao-precisam-de-remedios-de-cannabis-no-brasil-diz-empresa/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação