Notícias do setor farmacêutico

Dados colhidos por exames feitos em farmácias poderão ser utilizados nos postos de saúde

Quem tiver em grupos de risco terá presença solicitada em um posto de saúde. Projeto pretende promover monitoramento da hipertensão e da diabetes pelo próprio paciente.

 

Para aumentar o controle da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) sobre os casos de diabetes e hipertensão, exames de pressão e glicose realizados em farmácias poderão ser utilizados para iniciar o tratamento dos pacientes em postos de saúde. A iniciativa foi divulgada nesta segunda-feira, 19, durante o lançamento da Plataforma de Modernização da Saúde. O projeto, chamado de Pontos de Cuidado, terá parceria do governo estadual com uma multinacional de Israel.

 

Por perceber que os cidadãos frequentam mais as farmácias do que as unidades de saúde, a ideia é distribuir aparelhos que fazem o exame rápido de pressão e glicose nestes pontos. As informações do paciente e do teste serão compartilhadas com a secretaria, que enviará uma mensagem caso a pessoa se enquadre em um grupo de risco. Será solicitado que o paciente vá até um posto de saúde. Se estiverem saudáveis, receberão apenas um vídeo educativo e informacional sobre as doenças.

 

A partir da consulta, pessoas com diabetes e hipertensão serão registradas na Farmácia Popular do Ceará e poderão receber os remédios necessários para o tratamento gratuitamente. Em todo retorno à farmácia, a cada três meses, o paciente poderá refazer os testes e continuar monitorando os níveis de glicose e a pressão arterial. O objetivo é que os cidadãos monitorem a própria saúde com frequência, já que o Estado busca engajamento do paciente e mudanças comportamentais.

 

Dados

De acordo com a Sesa, existem 1,8 milhão de pessoas com pressão alta no Ceará. No entanto, o poder público só tem controle de aproximadamente 25% desses casos.

Fonte: O povo

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação