Notícias do setor farmacêutico

Porto Alegre amplia acesso e oferece consultas farmacêuticas a diabéticos

258

Iniciativa pioneira no país inclui mais pessoas nos critérios para receber os insumos

 

Pacientes diabéticos que recebem insumos pelo Sistema Único de Saúde na Capital passam a contar com consultas farmacêuticas a partir de setembro. Pioneira no país, a iniciativa possibilita que o profissional oriente quanto ao uso do aparelho para medição e leitura da glicemia, armazenamento e preparo da insulina, técnica correta de aplicação e manejo adequado em casos perigosos de hiper ou hipoglicemia.

 

Além disso, mais pessoas estão incluídas nos critérios para receber os insumos, com quantidades definidas conforme a necessidade de cada caso. Segundo o coordenador de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Leonel Almeida, foi feita nova portaria definindo critérios clínicos a respeito da quantidade efetiva para o controle da glicemia e o uso adequado da insulina.

 

O atual critério está associado às condições de saúde do paciente e ao uso de certos tipos de insulina. A partir da atualização, foi possível ajustar o consumo e qualificar os critérios de inclusão. “Hoje, sabemos que todos os pacientes que necessitam dos insumos estão contemplados”, afirma Almeida.

 

O novo fluxo de inclusão no programa facilitou o acesso aos insumos, já que agora a solicitação é feita diretamente na unidade de saúde do paciente. Antes, era necessário ir até a sede da secretaria com a solicitação feita pelo médico. “Tudo é resolvido na unidade de saúde, ou seja, o médico identifica os critérios para verificar se a pessoa está apta a ser incluída e solicita consulta especializada com farmacêutico”, explica, afirmando ser iniciativa pioneira no país quanto à interligação das consultas com a área de farmácia, via sistema informatizado.

 

Na consulta, o farmacêutico dá orientações aos pacientes a respeito do uso da insulina. “O profissional verifica se a pessoa sabe agitar o produto adequadamente e aspirar a quantidade prescrita, garantindo o uso correto e seguro e dando mais autonomia ao paciente no tratamento”, diz. Serão até quatro consultas, conforme a necessidade de cada um, momento no qual o farmacêutico avalia o grau de independência e autocuidado.

 

“Como trata-se de paciente com critérios de risco, por usar um medicamento potencialmente perigoso, durante a consulta explicamos os critérios de manutenção adequados para que as pessoas possam ter menos internações causadas por problemas com o uso equivocado”, avalia, o que reflete em mais segurança e melhora no prognóstico de saúde em decorrência da doença, segundo o coordenador.

 

Pelo Programa Municipal de Insumos para Diabetes, recebem aparelho para leitura e medição de açúcar no sangue, seringas para aplicação de insulina, tiras reagentes e lancetas portadores de diabetes mellitus tipos 1 e 2 em uso de insulina e portadoras de diabetes mellitus pré-gestacional e gestacional. As mudanças foram possíveis a partir da implantação do Sistema de Dispensação de Medicamentos (DIS) e do Sistema de Gerenciamento de Consultas (Gercon). A informatização possibilitou o controle de estoque e a reestruturação do programa com o objetivo de atender mais pessoas com qualidade.

Fonte: Portal Revista News

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.