Notícias do setor farmacêutico

Novas drogas antiepiléticas diminuem risco de malformações

185

Nesta edição, o professor Octávio Pontes Neto fala sobre o uso por mulheres de drogas antiepiléticas e o risco de malformações congênitas em razão disso.

De acordo com o professor, o estudo internacional realizado pelo Registro Europeu de Medicamentos Antiepiléticos e Gravidez (Eurap) avaliou mais de 10 mil gestações, no período de 2000 a 2013, em mulheres que foram expostas a drogas antiepiléticas, e “foi constatado que houve uma diminuição do risco de malformações fetais em mais de 27% com o uso de medicamentoscomo lamotrigina e levetiracetam”.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/?hl=pt-br

Pontes Neto fala que “mulheres que têm epilepsia e estão em período fértil devem ser acompanhadas de perto por um neurologista, sendo ideal a aplicação de monoterapias e o uso de drogas mais leves, como as usadas no estudo”.

Fonte: Jornal Campus

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })