Notícias do setor farmacêutico

Europa define novas diretrizes para pacientes com risco de infarto e derrame

Europa define novas diretrizes para pacientes com risco de infarto e derrame

A Sociedade Europeia de Cardiologia (ESC) publicou novas diretrizes de prática clínica sobre o manejo de diabetes e ‘síndromes coronárias crônicas (SCC)’, que substituem as recomendações de 2013 para o manejo de doença arterial coronariana estável (DAC). As diretrizes recomendam agora que o tratamento com dose vascular de Xarelto™ (2,5 mg duas vezes ao dia) mais uma baixa dose de Aspirina® uma vez ao dia seja considerado no tratamento de pacientes com síndromes coronárias crônicas com alto risco de novos eventos e baixo risco de sangramento. Outra nova diretriz da ESC que trata do diabetes também inclui essa recomendação para esse regime em pacientes com diabetes e doença arterial dos membros inferiores. Uma nova análise do estudo COMPASS publicada no Journal of American College of Cardiology em julho deste ano demonstrou que pacientes com alto risco se beneficiam mais da inibição de via dupla com Xarelto™ e Aspirina®.

O professor John Eikelboom, professor associado da Divisão de Hematologia e Tromboembolismo do Departamento de Medicina da Universidade McMaster, Canadá, disse: “As síndromes coronárias crônicas continuam sendo as principais causas de morbimortalidade em todo o mundo. É uma condição progressiva que nunca é estável. Adicionar novas recomendações de tratamento, incluindo a recomendação da Classe IIa para Xarelto™ em combinação com Aspirina®, às diretrizes atualizadas de prática clínica da ESC é, portanto, um passo significativo no manejo das SCC e aumentam as oportunidades para os pacientes se beneficiarem de novas opções de tratamento”.

A adição de um segundo medicamento antitrombótico como a dose vascular de Xarelto™ à Aspirina® é agora recomendada para pacientes com DAC multiarterial com pelo menos um dos seguintes fatores de risco: doença arterial periférica (DAP), infarto do miocárdio recorrente, diabetes mellitus que requer medicação ou doença renal crônica (DRC). Também é recomendado para pacientes com infarto do miocárdio prévio que apresentam alto risco de eventos isquêmicos e baixo risco de sangramento.

Em pacientes com diabetes e doença arterial sintomática crônica dos membros inferiores – que representam a maioria dos pacientes com DAP – sem alto risco de sangramento, a combinação de dose vascular de Xarelto™ e Aspirina® deve ser considerada. As diretrizes da ESC sobre SCC e diabetes são as primeiras diretrizes internacionais a recomendar a dose vascular de Xarelto™ mais Aspirina®.

As novas diretrizes também incluem uma mudança na nomenclatura de doença arterial coronariana estável para SCC. A mudança reflete a realidade de que esses pacientes com SCC correm risco contínuo de ataques cardíacos e derrames. O status de doença subjacente à doença arterial coronariana, acúmulo de placa aterosclerótica, é um processo dinâmico que pode levar a eventos trombóticos com risco de vida, incluindo derrames e ataques cardíacos, que continuam sendo a principal causa de morte no mundo.

Esta recomendação baseia-se em dados do estudo COMPASS da Fase III, que mostrou que a dose vascular de rivaroxabana mais Aspirina® 100 mg uma vez ao dia reduziu o risco composto de acidente vascular cerebral, morte cardiovascular e ataque cardíaco em 24% (redução do risco relativo) em comparação com a Aspirina® 100 mg apenas uma vez ao dia em pacientes com DAC ou DAP (1), incluindo uma redução de 42% no risco relativo de acidente vascular cerebral e uma redução de 18% na mortalidade. O estudo COMPASS randomizado controlado de Fase III foi publicado em 2017, depois de ter sido interrompido um ano antes do previsto devido à enorme eficácia.

Uma nova análise do estudo COMPASS publicada no Journal of American College of Cardiology em julho deste ano demonstrou que a proteção fornecida pela dose vascular de Xarelto™ mais Aspirina® 100 mg uma vez ao dia é especialmente pronunciada em pacientes com pelo menos um dos seguintes fatores de risco: envolvimento de dois ou mais leitos vasculares, diabetes, insuficiência renal ou histórico de insuficiência cardíaca. Esses pacientes tiveram um aumento de 2 vezes nos eventos vasculares quando comparados aos indivíduos sem esses fatores de risco.

“Temos o prazer de ver que a Sociedade Europeia de Cardiologia reconhece os benefícios que a adição de Xarelto™ 2,5 mg duas vezes ao dia com Aspirina® pode trazer aos pacientes e incluiu o tratamento em suas diretrizes atualizadas de 2019 apenas dois anos após a publicação do estudo COMPASS”, disse o Dr. Michael Devoy, Chefe de Assuntos Médicos e Farmacovigilância da Divisão Farmacêutica da Bayer AG e Diretor Médico. “A dose vascular (Xarelto™ 2,5 mg duas vezes ao dia) mais Aspirina® nos fornece uma grande oportunidade de mudar a prática clínica e tratar melhor os pacientes que sofrem de DAC e/ou DAP”.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/06/26/cardiologistas-debatem-em-jundiai-tratamentos-para-evitar-infartos/

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. AceitarConsulte mais informação