Notícias do setor farmacêutico

Presidente da Anvisa não cederá a pressão contra o plantio de cannabis

cannabis

A Anvisa deve aprovar na próxima semana a regulamentação do plantio de cannabis com fins medicinais no Brasil e o registro desses medicamentos, mesmo com pressões internas e externas do governo federal contra a atividade. O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), William Dib, garantiu que não irá desistir da proposta, mesmo sendo alvo de duras críticas do governo Bolsonaro. A declaração foi dada em entrevista à Folha de São Paulo nesta quarta-feira.

“Vamos publicar a pauta da próxima reunião e te digo: a Cannabis está lá”.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/10/02/senado-aprova-texto-base-da-reforma-da-previdencia-em-primeiro-turno/

Dib revelou resistência pelo governo, mas está otimista sobre a aprovação: “Se eu desistir, muita gente aqui vai aplaudir”. Se a proposta for aprovada, a previsão é que os primeiros medicamentos à base de Cannabis ainda levem ao menos um ano para chegar ao mercado.

Na entrevista à Folha, Dib rebateu críticas do governo e disse que a liberação desses produtos terá baixo risco sanitário. “O pior que vai acontecer é ele ser inócuo.”

Para o presidente da Anvisa, a necessidade de regulamentação do plantio é urgente.

“Do contrário, vamos ter em breve milhares de autorizações judiciais de plantio (por famílias de pacientes). Isso dá acesso às pessoas? Dá. Mas dá condições de ela ter tranquilidade que está tomando um produto com qualidade? Não.”

Ainda segundo Dib, uma eventual regulamentação da Anvisa também deve impactar em uma nova avaliação de juízes sobre essas ações. “A maioria coloca uma autorização até a regulamentação do processo”, diz. “Com isso, acredito que o Judiciário vai rever essas sentenças.”

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: SECHAT

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação