Notícias do setor farmacêutico

Profissionais de saúde do programa Mais Médicos são dispensados em SP

Profissionais de saúde se despediram nesta quinta-feira (3) de colegas e pacientes. Eles foram dispensados, com fim do programa Mais Médicos na maior cidade do país.

O dia foi de muita emoção em uma Unidade Básica de Saúde de São Paulo.

“Ele é ótimo, ótimo médico. É uma pena que eles querem tirar”, lamentou uma mulher.

O contrato do doutor Edson Medeiros acabou em setembro, o que aconteceu também com outros 36 integrantes do programa Mais Médicos.

“Existe um vínculo muito maior, muito mais aproximado com a família, porque o médico cuida de toda a família”, contou o médico.

Os médicos dispensados são brasileiros, quase todos formados no exterior. Trabalhavam, pagos pelo município, dentro do programa Mais Médicos, do governo federal, que não aceitou a prorrogação do convênio com a Prefeitura de São Paulo.

Ela até chegou a ser concedida, na Justiça, como forma de evitar transtornos à população. Mas agora outro juiz cassou a liminar e encerrou o processo. Os médicos perderam os empregos.

Entidades de usuários do serviço público, que atuam dentro do Conselho Municipal de Saúde, prometem recorrer da decisão na segunda instância da Justiça. Mas isso vai levar tempo. Por enquanto, em mais de 30 unidades de atendimento, o clima é de despedida e de consternação.

Pacientes do doutor Renan Facundo fazem abaixo-assinado para ele não ir embora.

“Nós, como médicos, nos sentimos assim muito tristes, porque realmente ficamos de mãos atadas”, disse Facundo.

“Pensei que ele tinha saído de férias e ia voltar”, contou uma mulher.

“Há três anos que meus pais recebem a visita. Mudou, a família se sente protegida, amparada. Aí vem e tiram isso de você. E a gente está sem chão”, lamentou Anita Fantato, auxiliar de enfermagem desempregada.

Com o doutor Edson não foi diferente.

“Eu não concordo com o senhor sair daqui não”, protestou um homem.

“Para, olha, conversa com você, pergunta da sua família. É muito triste, a gente está perdendo isso”, contou Juliana Alves, paciente.

“Você não vai estar aqui mais? Que dó! Posso te dar um abraço?”, pediu uma mulher ao médico.

“Pode”, respondeu.

A consulta de dona Maria era nesta quinta (3). Foi remarcada para o dia 26 de dezembro.

A Prefeitura de São Paulo disse que vai reagendar todas as consultas. O Ministério da Saúde informou que não vai renovar o contrato com o município de São Paulo porque o Mais Médicos será substituído por um outro programa, com outras regras: é o Médicos Pelo Brasil, que está em discussão no Congresso.

Fonte: Jornal Nacional

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação