Notícias do setor farmacêutico

Anvisa adia votação sobre maconha medicinal

maconha medicinal

Segundo a Anvisa, as alterações precisam ser analisadas pela área técnica e a Procuradoria do órgão antes de serem votadas – Foto: Guillermo Legaria/AFP.Diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiram apresentar alterações no texto das resoluções sobre o cultivo de Cannabis medicinal, que culminou no adiamento da votação sobre o tema. A agência anunciou a prorrogação desta segunda-feira (7/10) para 15 de outubro.
Segundo a Anvisa, as alterações precisam ser analisadas pela área técnica e a Procuradoria do órgão antes de serem votadas. A matéria dispõe sobre cultivo e registro de medicamentos à base de maconha.
Uma consulta pública, realizada pelo órgão em agosto, revelou que aproximadamente 1.154 das contribuições tinham maioria favorável. O próximo passo agora é uma votação com os integrantes de alto escalão do órgão e Diretoria Colegiada da Anvisa.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/06/25/cannabis-medicinal-aberto-prazo-para-contribuicoes/

Diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiram apresentar alterações no texto das resoluções sobre o cultivo de Cannabis medicinal, que culminou no adiamento da votação sobre o tema. A agência anunciou a prorrogação desta segunda-feira (7/10) para 15 de outubro.Segundo a Anvisa, as alterações precisam ser analisadas pela área técnica e a Procuradoria do órgão antes de serem votadas. A matéria dispõe sobre cultivo e registro de medicamentos à base de maconha.Uma consulta pública, realizada pelo órgão em agosto, revelou que aproximadamente 1.154 das contribuições tinham maioria favorável. O próximo passo agora é uma votação com os integrantes de alto escalão do órgão e Diretoria Colegiada da Anvisa.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: Parnambuco.com

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação