Notícias do setor farmacêutico

Vacina pentavalente na rede pública só em novembro de 2020

A informação é do próprio Ministério da Saúde; na rede privada ela custa R$ 370 cada uma das quatro doses necessárias

A rede pública de Saúde de Rio Preto não tem nenhuma previsão para normalização da distribuição da vacina nas 27 Unidades Básicas de Saúde de Rio Preto. A informação é da Secretaria de Saúde do município. Através da assessoria de imprensa, diz que a vacina é fornecida pelo Ministério da Saúde. Ela é enviada à secretaria de Saúde do Estado, que faz o repasse aos municípios. No mês de Julho a Secretaria recebeu 630 doses e no mês de Outubro, mais 1.425. Elas se esgotaram em apenas uma semana.

As crianças entre dois meses e um ano e três meses de idade precisam tomar quatro doses: aos dois, aos quatro, aos seis e aos quinze meses de vida. Ela previne contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta. Não há previsão da volta da vacina nas Unidades Básicas.

O problema está na produção, aquisição e distribuição da vacina pelo Ministério da Saúde. O último lote foi descartado pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) após testes feitos pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQOS) e Agência Nacional e Vigilância (Anvisa). O resultado fez com que o antigo fornecedor, a indiana Biologicals E. Limited tenha sido descartado.

Segundo a Secretaria de Saúde, o Ministério da Saúde solicitou a reposição do fornecimento à organização Mundial de Saúde. Mas não há disponibilidade imediata da vacina pentavalente no mundo. O Brasil comprou 6,6 milhões de doses. Elas começam a chegar de forma escalonada apenas em Agosto do ano que vem. Nota do Ministério afirma que a previsão de normalização na distribuição só comece a acontecer em Novembro do ano que vem. O Ministério afirma que assim que a vacina começar a chegar aos postos de saúde o Sistema Único de Saúde (SUS) fará uma busca pelas crianças que completaram dois, quatro e seis meses de idade entre agosto e novembro para vaciná-las. O país consome 800 mil doses de pentavalente ao mês. O fornecimento pelo Ministério está parcialmente interrompido desde Julho, quando começaram as comunicações feitas pelos Estados e municípios.

Na última quinta-feira, dia 31 de Outubro, não foi possível saber qual é a demanda da vacina nas Unidades Básicas de Rio Preto porque os Gerentes da Vigilância Epidemiológica da cidade estavam fora da Secretaria e não foram alcançados. Os pais que não quiserem esperar a normalização no Sistema Único estão recorrendo às clínicas e planos de Saúde que vendem uma vacina similar e que faz a proteção. Chama-se hectavalente. Além da proteção contra as cinco doenças cobertas pela pentavalente a hectavalente também atua contra a poliomielite. Ela substitui a primeira. Na rede particular ela custa entre R$ 370 a R$ 378 cada dose. São necessárias quatro doses. Planos e Clínicas estão dividindo o valor de cada dose em até doze vezes no cartão de crédito. Mesmo assim, a procura é grande.

Fonte: Gazeta de Rio Preto

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação