Notícias do setor farmacêutico

Startup da área da saúde é a nova incubada do Tecpar

Startup da área da saúde é a nova incubada do TecparUma startup curitibana da área da saúde é a mais nova incubada do Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar). Trata-se da IJP, empresa fundada no início deste ano, que atua na fabricação, importação e distribuição de dispositivos médicos.

A Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) apoiará a empresa no desenvolvimento do processo de fabricação de um monitor portátil, inédito no país, chamado de TOF-cuff. O dispositivo será usado para monitorar o bloqueio neuromuscular de um paciente que for anestesiado, para que o médico tenha mais segurança durante uma cirurgia.

O dispositivo já existe na Espanha e agora, por meio de uma parceria com uma companhia daquele país, a IJP recebeu a transferência de tecnologia para adaptar o dispositivo ao paciente brasileiro e comercializar no mercado nacional.

APOIO – Segundo o sócio-administrador da empresa, Jaques Francois Depocas, ao receber a indicação de que o Tecpar teria condições técnicas e experiência para ajudar neste processo, a empresa se interessou pelo acompanhamento da incubadora tecnológica.

“Com o Tecpar temos o apoio necessário para vencer todas as etapas até que este produto esteja no mercado. Recebemos desde a orientação administrativa e jurídica, até o acompanhamento durante o processo de autorização junto à Anvisa e ao Inmetro”, afirma o empresário.

REFERÊNCIA – O diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, ressalta que a Intec, com seus 30 anos de experiência, já se consolidou como uma referência no apoio ao setor produtivo do Estado, reunido todas as competências para fomentar o crescimento de negócios inovadores.

“A inovação é essencial para alavancar o progresso econômico e a geração de empregos. Por isso, o Tecpar trabalha para impulsionar ideias inovadoras, apoiando startups e empreendedores que têm uma boa ideia e precisam transformá-la em bons negócios”, afirma Jorge Callado.

FUNCIONAMENTO – O TOF-cuff monitora a transmissão neuromuscular do paciente enquanto ele está anestesiado, fazendo a avaliação em tempo real de maneira precisa. Hoje, é o anestesiologista quem acompanha o paciente realizando estímulos para conferir se ele continua com os reflexos bloqueados.

No caso do paciente que precisa ser entubado e tem suas funções motoras paralisadas por conta da anestesia, o próprio TOF-cuff indica quando o paciente pode ser extubado (retirada da entubação), garantindo assim a sua segurança. O equipamento também pode acompanhar o paciente enquanto ele está se recuperando e retornando da anestesia.

O TOF-cuff é portátil e pode acompanhar o médico em diferentes centros cirúrgicos, diferente dos equipamentos utilizados atualmente, que são fixos. O uso do dispositivo também garante economia ao hospital, já que o anestesiologista pode aplicar apenas a quantia necessária de medicamento para bloquear os reflexos durante uma cirurgia.

INTEC – A IJP foi selecionada no mais recente edital lançado pela Intec, para seleção de novas incubadas. Neste momento, a empresa adotará o processo de incubação na modalidade residente — quando a empresa tem sua sede fixada nas dependências da incubadora.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/11/19/em-menos-de-um-ano-farmacias-indiana-reduzem-perdas-nao-identificadas-em-24/

Siga nosso Instagram: http://instagram.com/panoramafaramceutico/

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação