Notícias do setor farmacêutico

Vitta e ePharma lançam produto que une planos de saúde e medicamentos

Vitta e ePharma lançam produto que une planos de saúde e medicamentosA Vitta e a ePharma apresentaram mais um modelo inédito no mercado nacional: o primeiro produto que une planos médicos a medicamentos em farmácias. O serviço – exclusivo para startups – conta com uma rede de 8,3 mil farmácias conveniadas, incluindo gigantes com Drogaria São Paulo, Extrafarma e Farmácias Pague Menos

O beneficiário pagará apenas 10% no valor quando os medicamentos forem genéricos, e 50% se fizer questão da marca que originalmente gerou a patente. As prescrições serão feitas por médicos da Vitta Network, rede composta por profissionais que utilizam o software de prontuários eletrônicos da Vitta. Para adquirir os medicamentos, bastará apresentar o Cartão Digital do Plano de Medicamentos Vitta nas farmácias associadas, que poderão ser encontradas pelo aplicativo de geolocalização da empresa.

João Gabriel Alkmim, CEO da Vitta explica “Tudo que fazemos é por colocar nossos membros em primeiro lugar. Estamos quebrando um grande paradigma da saúde brasileira em nome de nossos beneficiários. Queremos ser o produto escolhido pelas startups e seus times”.

“Utilizando as tecnologias que a Vitta e a ePharma desenvolveram, os médicos podem fazer suas prescrições a partir de uma lista de mais de sete mil itens, que contempla 96% dos princípios ativos mais prescritos. Já o farmacêutico autoriza a transação nas lojas por meio de um software e o usuário paga sua contribuição na própria farmácia”, informa Alkmim.

Enquanto os primeiros planos para startups que a Vitta lançou no país recentemente, junto às seguradoras Omnit e Unimed, custam cerca de 15% a menos que as apólices convencionais, as assistências com medicamentos têm ainda valor médio 10% mais em conta que o serviço equivalente tradicional e sem remédios. Segundo o executivo, além de ser um serviço pioneiro no país, a empresa aposta que o produto será um divisor de águas no mercado ao inverter a lógica de monetização da saúde suplementar brasileira.

Para Luiz Carlos Monteiro, presidente da ePharma, 90% das patologias podem ser tratadas ambulatorialmente com medicamentos, mas a população ainda convive com dificuldades de acesso e não recebe estímulos para monitorar adequadamente sua saúde. “É gratificante constatar que os principais players ligados ao setor estão integrando conhecimentos e recursos em prol da assistência farmacêutica e da melhoria da jornada do paciente. Só assim podemos mudar uma cultura baseada no combate à doença e que não prioriza o cuidado preventivo”, avalia Monteiro.

Tecnologia rompendo paradigmas

Os usuários dos novos planos para startup com e sem medicamentos também contam com o atendimento de uma equipe médica por WhatsApp, telefone e telemedicina 24/7. Ao se conectar no app, o membro tem acesso a um time de médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas e nutricionistas para tirar dúvidas. Além disso, por meio do programa, o usuário consegue agendar consultas e acessar resultados de exames, prontuários, históricos de tratamentos e prescrições.

“Ao não ganharmos dinheiro com a assistência em si, mas sim com a saúde dos nossos membros, estamos investindo no que faz diferença para eles. Estamos criando um novo ecossistema de saúde a partir do uso de tecnologia e da prescrição adequada de medicamentos”, diz Alkmim.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/11/11/entidades-e-parlamentares-pressionam-por-nova-lei-dos-planos-de-saude/

Fonte: http://instagram.com/panoramafarmaceutico/

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação