Notícias do setor farmacêutico

Blanver oferece medicamento genérico para prevenção do HIV

124

Desde fevereiro de 2020, a Blanver, laboratório farmacêutico focado em medicamentos nos segmentos de HIV, Hepatite e Osteoporose, oferece o primeiro medicamento genérico para prevenção do HIV no mercado privado.

“Um dos nossos objetivos é fazer com que cada vez mais pessoas tenham acesso ao medicamento genérico que, combinado com outros métodos e cuidados, potencializa a prevenção do HIV”, afirma Sergio Jose Frangioni, presidente da Blanver. “Essa distribuição faz parte da nossa estratégia de crescimento nos próximos anos. Planejamos investir cerca de R$ 300 milhões no período para expandir nossa atuação”.

O genérico pode ser encontrado em unidades da Drogaria São Paulo e em farmácias de outras redes pelo custo de R$ 150 a unidade. O seu uso é indicado para pessoas com risco de exposição ao HIV avaliado por um médico.

O HIV e o momento de pandemia

A COVID-19 é uma doença grave que pode atingir todas as pessoas, inclusive idosos com HIV ou quem tem HIV e problemas cardíacos ou pulmonares – esses grupos correm o risco de terem sintomas mais graves do coronavírus.

Seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde, é preciso evitar circular pelas ruas, aglomerações e sair apenas para o que for essencial. Todas as pessoas que vivem com HIV, de acordo com o Unaids, devem avaliar, com seus profissionais de saúde, a melhor forma de garantir o estoque adequado de medicamento essenciais para o período de quarentena.

Além disso, o Unaids recomenda que os serviços de HIV devem continuar disponíveis para pessoas que vivem com o vírus e que estejam em risco de infecção pelo HIV, o que inclui a garantia da disponibilidade de preservativos, da profilaxia pré-exposição e da testagem de HIV, entre outros insumos da prevenção combinada.

A prevenção combinada

A prevenção combinada ao HIV é formada de métodos e cuidados recomendados para toda a população sexualmente ativa. A Profilaxia Pré-Exposição, por exemplo, consiste no uso diário de antirretrovirais por pessoas não infectadas pelo vírus e pode ser combinada com o uso de preservativos, masculinos e femininos, e gel lubrificante. Ela começa a agir entre 7 e 20 dias de uso contínuo, sem falhas e depende do tipo de relação sexual. Já a Profilaxia Pós-Exposição é o uso de antirretrovirais em até 72 horas após situações de exposição ao vírus.

Fonte: Portal SEGS

 

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })