Notícias do setor farmacêutico

Hospital Albert Einstein anuncia exame em larga escala que detecta novo coronavírus

26

O Hospital Albert Einstein, de São Paulo, anunciou que desenvolveu um exame genético que pode ser aplicado em larga escala para detectar o novo coronavírus.

Além da precisão nos resultados, a principal vantagem do novo teste, que usa material do nariz e garganta, é o número de exames que podem ser processados de uma só vez: seriam 1.536. Dezesseis vezes maior que o método usado como referência.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Os pesquisadores que desenvolveram e patentearam o exame usaram inteligência artificial e aparelhos que fazem sequenciamento genético para outras doenças. Segundo eles, a tecnologia consome menos insumos e poderá ser negociada e transferida para hospitais públicos e privados do Brasil e do mundo.

“É o impacto da testagem maciça. Um número muito maior de pessoas testadas, o que permite um diagnóstico rápido, o isolamento dos contactantes e o entendimento de quantas pessoas estão infectadas numa assertividade maior, o que vai permitir uma retomada das atividades de modo mais seguro e mais rápido”, destaca Sidney Klajner, presidente do Hospital Israelita Albert Einstein.

O novo exame deve ser mais barato do que os que existem hoje e estar disponível no começo do mês que vem.

Enquanto não há testes suficientes a aposta ainda é no isolamento social. O megaferiado que começou na quarta-feira (20) na capital paulista poderá ser esticado em todo o estado até segunda-feira (25) pela Assembleia Legislativa. A votação deve acontecer ainda nesta quinta (21) e pode ser a chance de conseguir chegar à meta de isolamento entre 55 e 70%, que ainda não foi atingida.

“A gente vê os números crescerem a cada dia e as pessoas não têm noção ainda do que é a doença”, disse um caminhoneiro. E assim ela continua fazendo vítimas: já são quase 74 mil casos registrados, com 5.558 mortes.

A ocupação dos leitos de UTI está em 73% no estado e quase 90% na Grande São Paulo. O governo federal e o estadual acertaram o envio de 600 respiradores do Ministério da Saúde. E em meio a tanta tristeza, os equipamentos e os novos exames não são as únicas notícias boas.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/04/08/aposta-de-bolsonaro-hidroxicloroquina-e-testada-em-mil-pessoas-pelo-brasil/

A outra foi uma imagem da vida mostrando sua força. Um bebê, que foi para casa no colo do pai, nasceu há 39 dias em uma cesariana dramática e de emergência feita no leito de UTI. O estado da grávida, vítima da Covid-19, era tão grave que não dava nem para removê-la para a sala de parto. Mas o empenho da equipe médica no Hospital das Clínicas foi recompensado.

A mãe, que ainda precisa de mais tempo para se recuperar, conheceu a filha e se despediu dela por meio do celular. Mas os médicos esperam que logo, logo ela possa comemorar a vida tendo nos braços a pequena Elisa Vitória.

Fonte: G1

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.