Notícias do setor farmacêutico

Abradilan recomenda análise de giro e demanda para compras do mix de inverno

A proximidade do inverno pede abastecimento assertivo a partir da revisão de mix das farmácias, que devem explorar itens sazonais de maior demanda

24

Abradilan  – A sazonalidade que a troca de estações propicia faz com os hábitos de consumo da população mudem. Algumas regiões do Brasil estão vivenciando, junto da pandemia do novo coronavírus, dias bem mais frios, o que revela que o inverno de 2020 tende rigoroso, exigindo revisão de compras, estoque e sortimento.

Siga nosso instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Para se preparar para a nova estação, o histórico de vendas no mesmo período do ano anterior deve ser analisado. É preciso identificar quais as categorias que tiveram maior giro, quais as que não atingiram bom desempenho e a partir daí, definir qual será o sortimento a ser trabalhado e quais as quantidades de compras que devem ser feitas para o abastecimento do estoque.

O presidente da Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan), Vinicius Andrade, diz que é fundamental recorrer aos fornecedores, para conhecer os lançamentos da nova temporada, o que estará em alta, quais são as grandes apostas e que tipos de materiais promocionais estão sendo contemplados. Os produtos com apelo sazonal de inverno devem ganhar mais espaço nas gôndolas, como vitaminas C e D; antigripais; analgésicos e antitérmicos; lenços descartáveis; higienizadores nasais; soros fisiológicos; xaropes; pastilhas; inaladores; umidificadores de ar; termômetros; hidratantes; protetores labiais; além do álcool gel, que já passou a ser uma realidade na vida dos brasileiros. É importante considerar quais são as novas necessidades.”

Para definir o sortimento e o estoque, a orientação é de se considerar cinco fatores para analisar as vendas e projetar as compras:

1º. O histórico das vendas do ano anterior para usar como base para o ano atual.

2º. O histórico da saída do mês anterior para usar como base das compras para o mês seguinte.

3º. As informações concedidas pelos fornecedores, sobre as estimativas de lançamentos dos produtos novos.

4º. As condições climáticas e de saudabilidade da estação atual.

5º. A situação da pandemia provocada pela Covid-19.

As compras devem ser acrescidas proporcionalmente. O ideal é sempre analisar relatórios que demonstrem o giro e a demanda das principais curvas de compra. Baseando-se nesses dados é que se consegue planejar as compras e as necessidades de reposição.

Fonte: PFarma

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/06/29/seis-tendencias-sobre-o-mercado-de-otc-durante-e-pos-pandemia/

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })