Notícias do setor farmacêutico

Verme em crianças: sintomas e tratamento

37

A nossa barriga possui uma gama gigantesca de microrganismos benéficos, que vivem harmoniosamente e compõem o que chamamos de flora intestinal, fundamental para o processo de digestão tanto das crianças, quanto dos adultos. Entretanto, como o nosso intestino é um ambiente propício para a vida de vários desses bichinhos, é muito comum que outros, que não nos fazem bem, cheguem até lá e se proliferem — a eles é dado o nome de parasitas.

Há muitos tipos de parasitas, mas os especialistas e estudos científicos costumam dividi-los em dois grandes grupos: os vermes, nome dado àqueles que possuem um tamanho maior e, portanto, podem ser vistos a olho nu, e os menores, compostos de apenas uma única célula, que recebem a nomenclatura de protozoários.

É comum que crianças desenvolvam essas parasitoses intestinais porque ainda estão desenvolvendo a sua flora intestinal.

COMO SURGEM OS VERMES?

A transmissão de vermes está ligada às condições de higiene, como a falta de saneamento básico. A principal forma de contágio é a oral, o que explica o alto número de casos em crianças pequenas, já que os pequenos costumam colocar a mão na boca o tempo inteiro. Além disso, alguns alimentos podem estar contaminados com as ovas dos parasitas e, caso não sejam higienizados corretamente, também favorecem o aparecimento das parasitoses.

Há, ainda, animais que podem ser vetores, como é o caso dos caramujos, que transmitem a esquistossomose. Bichinhos de estimação, como gatos e cachorros, também podem ser vetores. Para evitar o contágio, é importante que o animal ingira vermífugo, de acordo com a frequência adequada pelo veterinário, e que a criança nunca tenha acesso ao espaço em que os pets fazem cocô: os parasitas podem penetrar a pele da criança e causar irritações e inflamações, com risco de atingir até o pulmão e os olhos.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS TIPOS DE VERMES? E SEUS SINTOMAS?

Muitos tipos de vermes e parasitas podem provocar efeitos nocivos para o intestino humano e de outros animais. Porém, listamos abaixo os tipos mais comuns e os sinais da sua presença no organismo humano.

Tênias: Existem quatro tipos de tênia, sendo que um dos tipos mais comuns é a  T. solium, comumente chamada de solitária. Todos os quatro tipos podem ser facilmente identificados na borda do ânus, tanto de crianças, quanto de adultos. A infecção causada por esse tipo de microrganismo normalmente não apresenta sintomas. Porém, em alguns casos, podem aparecer sinais como náuseas, vômito, diarreia e dor no abdômen. Os pacientes também costumam relatar um desconforto na região do bumbum, devido à movimentação do bichinho. Além disso, algumas pessoas também relatam sentir muita vontade de evacuar, em contrapartida à eliminação ínfima das fezes. Caso a criança não receba tratamento adequado, os ovinhos da tênia podem ultrapassar as paredes do intestino através da corrente sanguínea e se alojarem no cérebro, olhos, músculos e órgãos como o coração. Em casos mais graves, o paciente pode desenvolver cegueira, convulsões, além de correr risco de morte.

Lombriga: Este é o nome popular para o parasita conhecido cientificamente pelo nome de Ascaris lumbricoides. A contaminação causa dor abdominal e sinais de má absorção, provocando a desidratação. Caso a infecção pelo microrganismo não seja identificada precocemente, pode envolver o pulmão, causando pneumonia, com febre alta e, em casos  mais graves, a síndrome de Löffler, caracterizada pelo acúmulo de células do sistema imune nos pulmões. Conforme os bichinhos vão crescendo, é comum que os pacientes se queixem de obstruções da região do ânus. Outras complicações possíveis de aparecer são: inflamação da vesícula ou dos canais biliares, pancreatite (inflamação do pâncreas) e peritonite, ou seja, a inflamação da camada que reveste os órgãos da barriga.

Oxiúrus: Este é o nome popular para os parasitas Enterobius vermicularis, pequenos vermes branquinhos que causam intensa coceira na região anal. Caso a infecção atinja mulheres, é comum que seja acompanhada de inflamação da vulva e da vagina. Alguns pacientes também podem apresentar outros sintomas ocasionais e genéricos como náuseas, vômito, perda de peso, dor no abdômen e para evacuar.

Esquistossomo: A infecção causada por esse tipo de verme ocorre por meio da penetração do microrganismo pela pele. A esquistossomose, popularmente chamada de barriga d’água, é frequente em regiões onde o saneamento básico seja precário e que possuem água onde habitam caracóis, os vetores da doença. Os sintomas mais comuns são erupções cutâneas, febre, diarreia com presença de muco e sangue, calafrios, além de forte dor na barriga, dor nas articulações e nos músculos, aumento anormal e doloroso do fígado. Caso não seja diagnosticada e tratada precocemente, a doença pode evoluir e comprometer funções realizadas pelo baço e fígado, como a filtração de todas as substâncias do corpo humano e a produção e armazenamento de glicose, respectivamente.

Giárdia: A giardíase é causada pelo verme giárdia e pode contaminar as crianças através de alimentos contaminados, água ou pelo contato com pessoas já infectadas. Comum em regiões em que as condições de higiene e saneamento são precárias, os principais sintomas da doença são a diarreia aguda ou crônica. A desidratação também pode ser um dos sinais recorrentes, visto que os parasitas causam uma má absorção do intestino. Distensão do abdômen, aumento da frequência de flatulência e evacuação com cheiro forte são outros sintomas que merecem atenção. Em casos mais graves, caso não seja tratada, pode ocasionar perda considerável de peso, anorexia e anemia.

COMO SE DESCOBRE QUE UMA CRIANÇA TEM VERME?

A forma mais comum de se descobrir a presença de vermes ou parasitas no intestino humano é na observação das fezes. Na maioria das vezes, eles são visíveis a olho nu. Entretanto, em alguns casos, exames microscópicos podem identificar os ovos nas amostras fecais.

É fundamental que logo após a comprovação do diagnóstico, o tratamento seja realizado, pois a presença das parasitoses está intimamente relacionada ao déficit no desenvolvimento cognitivo e físico das crianças, além de proporcionar problemas como a desnutrição. Estudos científicos mostram que pequenos com esses parasitas desenvolveram redução no peso e na altura.

EXISTE REMÉDIO PRA VERME? COMO FUNCIONA O TRATAMENTO?

Sim. Porém, o que vai determinar a dose e o tipo do medicamento a ser receitado é o resultado do exame de fezes, que mostrará o tipo e se há ou não uma grande infestação no organismo da criança. A maioria dos pediatras receitam vermífugos, para terem certeza que todos os vermes e parasitas serão mortos, mesmo quando não há infestação.

COMO EVITAR O CONTÁGIO POR VERMES?

  • Como a maioria dos vermes é de fácil contágio, algumas dicas podem aumentar a segurança são:
  • Sempre lavar bem as mãos com sabonete antes e após a troca de fraldas.
  • Sempre se atentar à procedência dos alimentos e cozinhá-los muito bem antes de oferecer à criança, principalmente vegetais folhosos e carne de porco.
  • Quando consumir frutas, verduras e outros alimentos crus, use água potável na sua lavagem.
  • Alguns especialistas também indicam a higienização com hipoclorito de sódio.
  • Somente ofereça à criança água filtrada ou fervida.
  • Atente-se à limpeza da casa e, principalmente, do quartinho do bebê.
  • Se você possui bichos de estimação, não deixe que seu filho se aproxime do cocô.
  • Incentive seu pequeno a, desde muito cedo, lavar as mãos.
  • Esse hábito não deve ser rotina somente antes de fazer as refeições, porque são muitas as vezes que ele as levará até a boca.

Fonte: Danone Nutricia

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })